PUBLICIDADE
Topo

Atlético-MG

Atlético-MG fala em "escândalo" no apito e quer suspender árbitros na CBF

Lance envolvendo Gil e Vargas foi o lance mais polêmico do 1º tempo de Corinthians x Galo - Reprodução
Lance envolvendo Gil e Vargas foi o lance mais polêmico do 1º tempo de Corinthians x Galo Imagem: Reprodução

Guilherme Piu

Do UOL, em Belo Horizonte

17/11/2020 18h59

Classificação e Jogos

O Atlético-MG enviou ontem (16) à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) um ofício contestando a arbitragem do jogo contra o Corinthians. A reclamação atleticana aconteceu pelo pênalti não assinalado aos quatro minutos de partida, na Neo Química Arena, na 21ª rodada do Campeonato Brasileiro, quando o atacante chileno Eduardo Vargas foi agarrado na área pelo zagueiro Gil. Em carta, o vice-presidente do Galo chamou o lance de "escândalo na arbitragem".

"Conforme público e notório, veiculado por toda a mídia nacional, aconteceu um verdadeiro escândalo na arbitragem do jogo acima referido, em que o árbitro de campo, com visão frontal do lance aos quatro minutos, deixou de assinalar uma penalidade máxima, não tendo tampouco aplicado o cartão vermelho por 'agarrão' feito pelo zagueiro Gil do Corinthians", diz parte do ofício.

Por causa do erro, que classificou como "bizarro", o vice-presidente atleticano Lásaro Cândido quer que se tornem públicos os áudios e vídeos da conversa entre o árbitro de campo e o árbitro de vídeo.

"O Clube Atlético Mineiro vem apresentar reclamação, requerer publicização dos áudios e vídeos do VAR, além de protestar veementemente em face da penalidade máxima clara não anotada em seu favor, na partida disputada por Sport Clube Corinthians Paulista e Clube Atlético Mineiro em 14.11.2020, válida pela Série A do Campeonato Brasileiro 2020", aponta o início da reclamação.

O vice-presidente alvinegro, um dos que assina a carta enviada à CBF, também pede punição aos árbitros que trabalharam no jogo.

"De outro lado, a equipe de arbitragem deve ser previamente afastada até a apuração completa do descalabro que ocorreu no jogo, transmitido para todo o Brasil enfim grande perplexidade dos especialistas e do público em geral".

CBF

O UOL Esporte entrou em contato com o chefe da arbitragem da CBF para ouvir o lado da entidade que comanda o futebol no que diz respeito ao que foi reclamado pelo Atlético-MG.

Leonardo Gaciba, chefe da Comissão de Arbitragem, disse que não havia recebido o documento do Atlético-MG e que, por isso, não poderia comentar o assunto.

Em conversa com o UOL, o vice-presidente do Galo garantiu o envio da documentação. "A carta foi datada no dia 15 de novembro e enviada na segunda-feira — dia 16. Há um caminho a ser respeitado, primeiro enviamos para a Federação Mineira de Futebol (FMF), que repassa à Confederação Brasileira de Futebol (CBF)", garantiu Lásaro Cândido, que ainda criticou Leonardo Gaciba.

"É assustador, se verdadeira for a afirmação que ele não tomou conhecimento [do ofício], porque demonstra a total displicência, no mínimo, pela comissão que ele preside. A questão foi objeto de matérias de âmbito nacional. E, publicamente, essa discussão, no mínimo, deveria ter chegado a ele. Penso que é mais assustador o desdobramento, além da falha bizarra e grotesca do árbitro de campo, assusta mais depois desse episódio, deparar com a passividade do Gaciba em relação às providências. Não precisava nem de ofício, era para ele fazer como fez em relação ao São Paulo. Que temos depois ele se prenunciou a questionar a arbitragem do jogo do Atlético-MG com o São Paulo. Deveria ter publicamente esclarecido. Ele não tem capacidade para continuar na Comissão de Arbitragem, na minha opinião", criticou Lásaro, que completou sua crítica.

"Eu já tinha um pé atrás com o [Leonardo] Gaciba por ele dizer que José Roberto Wright era um grande árbitro do Brasil. Por ai dá para notar o padrão que ele almeja", finalizou.

O ofício do Atlético-MG enviado à CBF foi divulgado pelo GE e confirmado pelo UOL.

Leia na íntegra o ofício enviado pelo Atlético-MG à CBF

O Clube Atlético Mineiro vem apresentar reclamação, requerer publicização dos áudios e vídeos do VAR, além de protestar veementemente em face da penalidade máxima clara não anotada em seu favor, na partida disputada por Sport Clube Corinthians Paulista e Clube Atlético Mineiro em 14.11.2020, válida pela Série A do Campeonato Brasileiro 2020.

Conforme público e notório, veiculado por toda a mídia nacional, aconteceu um verdadeiro escândalo na arbitragem do jogo acima referido, em que o árbitro de campo, com visão frontal do lance aos quatro minutos, deixou de assinalar uma penalidade máxima, não tendo tampouco aplicado o cartão vermelho por "agarrão" feito pelo zagueiro Gil do Corinthians"

Chamaram a atenção da direção, comissão técnica e jogadores do Atlético, e de toda a mídia, o desprezo e omissão do árbitro de campo quanto ao lance, sugerindo que também o VAR tenha se omitido, embora os respectivos áudios e vídeos não tenham sido publicizados.

Causa estranheza que no mesmo dia, no jogo realizado às 21h30, entre Palmeiras e Fluminense, algumas jogadas daquele jogo tiveram o áudio ao vivo divulgado, sugerindo comportamento não isonômico e lançando dúvidas quanto ao cumprimento dos protocolos e as regras básicas de arbitragem, inclusive em relação ao VAR.

Em sendo assim, requer o Atlético que o presidente da Comissão de Arbitragem publicize de imediato sua opinião sobre o bizarro lance, como fez em relação à arbitragem do jogo do Atlético contra o São Paulo FC, além de publicizar de imediato os áudios e vídeos do VAR do jogo do último sábado, liberando obviamente cópia ao Atlético, para estudar as medidas adicionais cabíveis, inclusive perante o STJD se for o caso.

De outro lado, a equipe de arbitragem deve ser previamente afastada até a apuração completa do descalabro que ocorreu no jogo, transmitido para todo o Brasil enfim grande perplexidade dos especialistas e do público em geral.

É importante realçar que a medida deve ser imediata e urgente, porque o Atlético já tem um compromisso pelo Campeonato Brasileiro na próxima quarta-feira, e novamente teme pela não observância dos protocolos e que seja mais uma vez gravemente prejudicado em lances capitais (não é preciso muito esforço para se rememorar que no jogo contra o Flamengo em 08.11.2020 houve pênalti claríssimo no último lance da partida l, e que também não houve atuação correta da arbitragem em relação ao referido lance capital, apesar de àquela altura o placar já estar em 4 a 0).

O Atlético bem sendo sucessivamente prejudicado em lances capitais e elementares e espera transparência, lisura e respeito da Comissão de Arbitragem.

Atenciosamente,

Clube Atlético Mineiro

Atlético-MG