PUBLICIDADE
Topo

Vasco

Eleição online do Vasco agita sede do Calabouço e votos ocorrem com rapidez

Chapas de Jorge Salgado e de Julio Brant decoram a sede do Vasco do Calabouço - Alexandre Araújo / UOL Esporte
Chapas de Jorge Salgado e de Julio Brant decoram a sede do Vasco do Calabouço Imagem: Alexandre Araújo / UOL Esporte

Alexandre Araújo e Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

14/11/2020 10h19Atualizada em 14/11/2020 12h31

Ainda que de forma mais tímida que em relação à movimentação em São Januário, no último sábado, os arredores da sede do Calabouço ganharam ares de eleição. Hoje (14), de 9h às 22h, os sócios vascaínos escolhem o novo presidente do clube, em pleito com votação online e presencial.

Mesmo com a expectativa de que muitos sócios façam a escolha pela internet, as chapas "Mais Vasco", de Jorge Salgado, e "Sempre Vasco", de Julio Brant, fazem campanha na porta do local.

A votação presencial acontece em cabines com totens eletrônicos. No início do processo, houve relato de que algumas máquinas apresentaram uma mensagem de "aguarde" de forma travada, mas o problema foi logo resolvido.

Já entre os sócios que preferiram votar de casa, a maioria relata rapidez no processo. Alguns poucos acusaram dificuldades em relação à queda da plataforma ou não recebimento da senha de acesso, principalmente na abertura da votação, mas o sistema parece ter se normalizado cerca de uma hora depois.

Embora não seja favorável ao pleito online, Roberto Monteiro, presidente do Conselho Deliberativo, está presente. Ele, juntamente ao candidato Leven Siano, da chapa "Somamos", chegou a levar o processo eleitoral do Vasco ao Superior Tribunal Federal (STF), em uma tentativa de validar o resultado do pleito do dia 7 de novembro, suspenso pelo presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Humberto Martins.

A votação do último sábado (7) recebeu a liminar cerca de duas horas antes do encerramento. O pleito foi realizado após decisão na noite anterior, que derrubou liminar que indicava eleição no dia 14, online.

Depois da decisão de continuar a votação, mesmo com a apresentação do STJ, "Mais Vasco", "Sempre Vasco", e "No Rumo Certo", do presidente Alexandre Campello, retiraram-se. A apuração das urnas foi feita apenas com membros da "Somamos", e "Aqui é Vasco", de Sérgio Frias.

Durante a semana, Alexandre Campello retirou a candidatura. Na última quinta (12), Sérgio Frias e Leven Siano, que declararam não concordar com nova eleição, também apresentaram carta renunciando a candidatura.

Leven tem 2 ações em curso no STJ

Embora tenha recebido uma negativa da ministra Carmen Lúcia em sua ação no STF, Leven Siano não se dá por vencido e ainda aguarda uma resposta de outras duas movimentações jurídicas, ambas no STJ: uma com um pedido de reconsideração da liminar que suspendeu os efeitos da eleição do último dia 7 e outra um mandado de segurança solicitando a suspensão do pleito online de hoje.

O candidato da chapa "Somamos" investiu pesado e contratou dois advogados renomados e com bom trânsito em Brasília: Ronaldo Cramer e Wadih Damous, ex-deputado federal pelo PT e um dos responsáveis pelo habeas corpus que libertou o ex-presidente Lula da prisão.

Sócio vota até da Antártida

A possibilidade de votar online propiciou que muitos sócios que moram fora no Rio de Janeiro votasse. Um vascaíno, inclusive, votou da Antártida.

Abaixo o UOL Esporte trouxe o depoimento de alguns dos associados que já votaram, dando seu panorama sobre o que acharam do processo. A maioria aprova e destaca a rapidez e simplicidade, mas teve quem relatou problemas no sistema ou na obtenção da senha de acesso. Veja:

Vasco