PUBLICIDADE
Topo

Vasco

Eleição do Vasco: Brant e Salgado confiam em "ato final" após polêmica

Candidatos Jorge Salgado, da "Mais Vasco", e Julio Brant, da "Sempre Vasco", posam para fotos em clima harmônico - Alexandre Araújo / UOL Esporte
Candidatos Jorge Salgado, da "Mais Vasco", e Julio Brant, da "Sempre Vasco", posam para fotos em clima harmônico Imagem: Alexandre Araújo / UOL Esporte

Alexandre Araújo e Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

14/11/2020 12h00

Candidatos à presidência do Vasco, Jorge Salgado, líder da chapa "Mais Vasco", e Júlio Brant, que encabeça a "Sempre Vasco", demonstram confiança de que pleito de hoje (14) vai apontar o novo mandatário. Mais cedo, Roberto Monteiro, presidente do Conselho Deliberativo, citou "segurança no processo" e o estatuto para declarar a sessão como encerrada. Faues Cheren Jassus, o Mussa, presidente da Assembleia Geral, porém, garantiu que a eleição permanecerá como marcado anteriormente.

O clima entre os membros e os correligionários das duas chapas é amistoso, com cumprimentos, conversas e desejos de boa sorte de ambos os lados durante o processo.

"Confiante, sem dúvida alguma. O Vasco remarcou a eleição e ela foi confirmada pela Justiça", disse Brant, que chegou logo no início da votação e completou:

"Já esperávamos (a movimentação do Monteiro). Eu estou aqui como candidato e estou me portanto como tal. Esse é um problema do Vasco. A princípio, pelo que a gente soube, a decisão foi favorável ao Vasco, ou seja, favorável à manutenção do pleito hoje".

Salgado, que chegou por volta das 11h, também demonstrou estar alinhado em relação à expectativa do resultado das urnas.

"Se o resultado for para a Justiça, teremos de aguardar, mas estou muito confiante. Essa eleição é em obediência às regras do jogo, às conformidades", avaliou.

SMS com informação não procedente

Ainda na parte da manhã, sócios começaram a receber um SMS (mensagem de celular) com a informação de que a eleição havia sido cancelada. A ação fez com que Jorge Salgado e Julio Brant fizessem um vídeo juntos ressaltando que o pleito está em andamento e a votação transcorre normalmente.

Temendo a proporção que tais mensagens poderiam ganhar, e as consequências delas para a eleição, Mussa fez um pronunciamento garantindo que o pleito continua.

"Tomei ciência, agora, de que estão divulgando, nas redes sociais, vídeos e mensagens afirmando que o processo eleitoral que está sendo realizado hoje teria sido suspenso. É mentira. Afirmo, é mentira, é fake news. Por determinação da Justiça, de acordo com o estatuto do Vasco, a eleição está sendo realizada de forma tranquila, limpa, sem surpresa. Marcada com grande antecedência, permitindo, a todos os sócios, votarem a distância ou de maneira presencial. Uma grande vitória para a democracia do nosso querido Vasco da Gama"

As polêmicas da eleição

Membros das chapas conversam após eleição do Vasco ser suspensa - Bruno Braz / UOL Esporte - Bruno Braz / UOL Esporte
Integrantes das chapas conversam após eleição do Vasco ser suspensa pelo STJ no último sábado (7)
Imagem: Bruno Braz / UOL Esporte

A corrida eleitoral realizada no último sábado (7), e de forma presencial, aconteceu graças a uma decisão judicial publicada na noite anterior. Nela, o desembargador Camilo Ribeiro Ruliére derrubou liminar que determinava que o pleito fosse on-line no dia 14.

O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Humberto Martins, porém, suspendeu a eleição na noite de sábado, com ela já em andamento, e fazendo valer a liminar anterior. Após idas e vindas, a votação teve continuidade, já sem a presença das chapas "Mais Vasco", de Jorge Salgado, "Sempre Vasco", de Julio Brant, e "No Rumo Certo", de Alexandre Campello. A apuração dos votos, inclusive, só teve a presença de membros das chapas "Somamos", de Leven Siano, e "Aqui é Vasco", de Sergio Frias.

Depois da decisão de continuar a votação, mesmo com a apresentação do STJ, "Mais Vasco", "Sempre Vasco", e "No Rumo Certo", do presidente Alexandre Campello, retiraram-se. A apuração das urnas foi feita apenas com membros da "Somamos", e "Aqui é Vasco", de Sérgio Frias.

Posteriormente, Mussa, presidente da Assembleia Geral, convocou outra eleição presidencial para este sábado (14), no formato on-line, algo que foi chancelado com a publicação do edital de convocação no site oficial do clube.

Durante a semana, Alexandre Campello retirou a candidatura. Sérgio Frias e Leven Siano, que declararam não concordar com nova eleição, também apresentaram carta renunciando a candidatura.

Ontem à noite, Leven teve negada pela ministra Carmen Lúcia uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF). O candidato, porém, ainda tem mais duas movimentações jurídicas à espera de uma resposta, ambas no STJ: um pedido de reconsideração da decisão que suspendeu a eleição do dia 7 e um mandado de segurança solicitando a suspensão do pleito de hoje.

Vasco