PUBLICIDADE
Topo

Botafogo

Botafogo busca técnico com perfil de liderança, indica Montenegro

Carlos Augusto Montenegro, membro do comitê gestor do Botafogo - Vitor Silva/Botafogo
Carlos Augusto Montenegro, membro do comitê gestor do Botafogo Imagem: Vitor Silva/Botafogo

Alexandre Araújo e Bernardo Gentile

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

28/10/2020 21h46

Carlos Augusto Montenegro, membro do comitê gestor do futebol do Botafogo, indicou que a diretoria alvinegra busca no mercado um técnico que tenha um perfil de liderança. Na tarde de hoje (28), o clube anunciou que Bruno Lazaroni não está mais à frente do time e volta ao cargo de auxiliar.

"Passamos o perfil e o salário para o Tulio [Lustosa, gerente de futebol] e ele está buscando. Alguns querem o Luxemburgo, outros o Dorival, outros o Abel Braga, o Thiago Larghi, o Joel Santana, para falar inglês com o Honda e Kalou... Temos um elenco jovem. Acho que precisamos de um líder, alguém que chegue e chame a responsabilidade. Estamos procurando", disse.

"Não tem essa de promessa, de jovem, de velho, antigo... Se o Tulio achar um técnico no perfil e dentro do que combinamos, vai ser esse", completou.

O dirigente, por outro lado, garantiu que não há um teto salarial determinado, ressaltando que o time precisa de respostas positivas a curto prazo:

"Não tem teto. Nesse caso, está livre. A possível saída da Copa do Brasil é séria e, se for rebaixado, o prejuízo é incalculável. [Caso isso aconteça] Não sei o que vai acontecer no futuro. Hoje em dia, a Série B não tem receita. A gente não vai poder economizar em relação ao técnico. A gente pretende, com esse treinador que assumir, se for o perfil que a gente goste, dar um salário bom e um prêmio importante".

Montenegro explicou ainda o motivo da aposta em Bruno Lazaroni para substituir Paulo Autuori, no começo do mês passado.

"As três opções dadas foram Roger [Machado], o Renê Weber [auxiliar do Autuori] e o próprio Lazaroni. Como o Roger não aceitou, a gente achou que o Renê Weber teria muito a cara do Paulo e resolvemos, por causa do dinheiro, dar uma chance ao Bruno", indicou.

Membro do comitê gestor de futebol, ele afirmou que, em meio à crise, tem a ideia de fazer uma visita ao elenco.

"Estou pensando em cutucar os jogadores, ter uma conversa com portas fechadas. Vamos ver o que vai acontecer", assegurou.

Botafogo