PUBLICIDADE
Topo

Vasco

Local de fundação do Vasco será inaugurado dia 31 e terá tour virtual

Grupo de vascaínos revitalizou casa no centro do Rio em que ocorreu a reunião onde o Vasco foi fundado - Reprodução
Grupo de vascaínos revitalizou casa no centro do Rio em que ocorreu a reunião onde o Vasco foi fundado Imagem: Reprodução

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

21/10/2020 12h46

Local onde foi realizada a reunião de fundação do Vasco, em 1898, o Centro Cultural Cândido José de Araújo, situado no Centro (RJ), já tem data de inauguração: será no próximo dia 31, e contará como uma exposição sobre o início do Club de Regatas Vasco da Gama, com direito a itens históricos e guia especializado descrevendo detalhes da história.

O espaço - que foi adquirido por um grupo de vascaínos - está na reta final das obras e abrirá aos fins de semana, a princípio de 9h às 18h e ao preço de R$ 20 (R$ 10 meia/ sócio paga meia).

Por conta da pandemia do coronavírus, o local fará adaptações às exigências sanitárias e terá uma pré-reserva de horários com capacidade de até 20 pessoas em cada um deles. Toda a renda será revertida para os custos e a melhoria da sede.

Um grande atrativo, principalmente, para o chamado torcedor "off-Rio", é a parceria com a empresa "Top Tour Virtual", que como o próprio nome sugere, irá proporcionar ao internauta a experiência de conhecer o centro cultural com todos os detalhes através do computador, tablet ou celular.

"A galera off-Rio vai poder visitar o nosso museu e ter acesso a todos os detalhes. Por exemplo: vai ter lá um quadro do Roberto Dinamite. O internauta poderá clicar e aparecerá para ele o mesmo texto que está no quadro, e ainda terá narração. A mesma coisa com a parte multimídia, onde o mesmo vídeo irá passar na casa da pessoa", explicou ao UOL Esporte Raphael Pulga, um dos idealizadores do projeto e integrante do grupo "Guardiões da Colina", que adquiriu a casa.

É importante ressaltar, porém, que o tour virtual NÃO estará disponível a partir do dia 31 de outubro. A tendência é a de que ele fique online para o público cerca de uma semana depois.

Busto de Candinho

Busto de Cândido José de Araújo, o Candinho, já está pronto e será atração no centro cultural vascaíno - Divulgação / Centro Cultural Cândido José de Araújo - Divulgação / Centro Cultural Cândido José de Araújo
Busto de Cândido José de Araújo, o Candinho, já está pronto e será atração no centro cultural vascaíno
Imagem: Divulgação / Centro Cultural Cândido José de Araújo

Outro grande atrativo que já está pronto é o busto de Cândido José de Araújo, que deu nome ao centro cultural através de enquete entre os torcedores. Ele foi feito por um artista plástico Marck Fraga, de Pelotas (RS).

Candinho, como era conhecido intimamente no clube, foi o primeiro presidente negro da história do Vasco e de um clube de futebol.

Exposições mensais

A ideia é que as exposições troquem de temas mensalmente, sempre contando com riquezas de detalhes e itens a história do Club de Regatas Vasco da Gama. Com o tour virtual, o internauta terá também o benefício de ver as exposições passadas.

Caso algum torcedor ou historiador queira contribuir com algum item ao local, basta procurar as redes sociais do Centro Cultural Cândido José de Araújo.

Erguido através de doações e voluntariedade. Dois candidatos contribuíram

As obras no Centro Cultural Cândido José de Araújo foram realizadas graças a doações e trabalhos voluntários de vascaínos. Uma vaquinha online foi criada para ajudar no projeto e o UOL Esporte apurou que dois candidatos que concorrerão na eleição presidencial do Vasco no dia 7 de novembro contribuíram com grande quantia. Eles, porém, preferiram não ter os nomes revelados, mas se comprometeram a absorver o local como sede oficial do Cruz-maltino caso vençam o pleito.

Idealizadores do centro cultural também depositaram recursos próprios para que pudessem colocar de pé o objetivo.

Apesar da ajuda, o projeto ainda precisa de cerca de R$ 25 mil para que todos os detalhes elaborados em planta sejam feitos. A vaquinha segue disponível para contribuições (clique aqui)

Proprietário negociava com uma lotérica

O local, que estava desativado, ficou próximo de se tornar uma lotérica. O proprietário já tinha conversas neste sentido quando recebeu a proposta do Guardiões da Colina para um aluguel de seis meses com opção de compra.

As mensalidades já foram pagas antecipadamente pelo grupo.

História confundiu local de fundação

Placa indica casa na Gamboa onde nasceu o Vasco - Reprodução - Reprodução
Placa indica casa no Centro do Rio de Janeiro onde nasceu o Vasco
Imagem: Reprodução

Durante muito tempo, imaginou-se que o local de fundação do Vasco da Gama havia sido em outro lugar. Por conta da dificuldade de registros e documentos, acharam por décadas que a reunião que fundou o clube teria acontecido na sede da Sociedade Dramática Particular Filhos de Talma, importante reveladora de artistas amadores da época.

Um evento em 2011, com o presidente vascaíno da ocasião, Roberto Dinamite, aconteceu no local para celebrar o feito, inclusive.

Em 1958, houve também uma celebração pelos 60 anos da fundação, e até mesmo uma placa foi inaugurada na sede.

O verdadeiro local foi ser conhecido e revelado tempos depois com a ajuda do historiador vascaíno Henrique Hubner, que já fez parte do Centro de Memória do clube.

Quem foi Cândido José de Araújo?

Candinho, como era conhecido entre os vascaínos, foi eleito em 7 de agosto de 1904, quando o futebol ainda não havia sido instituído no Vasco. Foi com ele que o clube conquistou seus dois primeiros títulos no remo, esporte tradicional da época. O bicampeonato foi fundamental para que o Cruz-Maltino aumentasse seu prestígio no cenário nacional.

Um ano antes de sua posse, foi o homem responsável por captar o maior número de sócios para o clube, feito que o fez receber como honraria uma medalha por sua contribuição ao Vasco.

Cândido José de Araújo, marcado, em um piquenique na Ilha do Engenho, em 1903, quando era tesoureiro do Vasco - Reprodução - Reprodução
Cândido José de Araújo, marcado, em um piquenique na Ilha do Engenho, em 1903, quando era tesoureiro do Vasco
Imagem: Reprodução

Cândido José de Araújo, que era de uma família que ascendeu, se tornou o oitavo presidente do clube apenas 16 anos depois da abolição da escravatura, quando a sociedade carregava um extremo racismo.

"Se relacionava bem com todos"

Historiador do Vasco e ex-diretor do Centro de Memória do clube, Henrique Hübner destacou a personalidade simpática de Candinho. Segundo ele, Cândido foi um presidente que se relacionava bem com todos.

"Era um sujeito afável, que se relacionava muito bem com todo mundo. Era educado, dava ouvido às pessoas... Era um sujeito legal. E esse jeito dele angariava, atraía, então, depois, quando entrou no Vasco, ele fez com que crescesse o quadro social, feito que o fez ganhar uma medalha do clube que correspondia à primeira colocação na quantidade de novos sócios indicados."

Antes de ser presidente, Candinho se tornou o primeiro tesoureiro da história do clube, em 1903.

Escrevente na Central do Brasil

No lado profissional, Candinho era escrevente. Por muito tempo, fez carreira na Central do Brasil, no Rio de Janeiro.

"Candinho era da Central do Brasil. Era um escrevente na época. Se aposentou como chefe de sessão, por volta de 1930, no setor de pensões da Central", destacou Hübner.

Além de escrevente, Cândido chegou a ser coronel da antiga Guarda Nacional, espécie de "força paralela" constituída por civis em defesa da pátria.

53% dos votos

A escolha pelo nome de Centro Cultural Cândido José de Araújo foi expressiva. Ao todo, 53,2% dos 2.786 votos optaram pelo ex-presidente. Em segundo ficou o Centro Cultural Vasco da Gama (26,9%), em terceiro, Sede de Fundação CRVG (10,4%), e em quarto, Casa 21 de agosto.

"Nosso grupo está pautado nisso, na parte social e na democracia. Então, sempre que pudermos dar voz à torcida, sempre que for possível, faremos a coisa mais democrática possível. Esse é o nosso objetivo. A gente brinca que pacificou o Vasco, porque unimos diferentes correntes políticas em prol do projeto", declarou ao UOL Esporte o integrante do Guardiões da Colina, Raphael Pulga.

A sede

A sede fica no Centro do Rio de Janeiro, na região da Gamboa, e serviu de local para a reunião da fundação do Club de Regatas Vasco da Gama, dia 21 de agosto de 1898.

Originalmente, ela se situava na Rua da Saúde, nº 293, mas com as mudanças na cidade, o endereço atual é Rua Sacadura Cabral, nº 345.

Um dos líderes dos Guardiões, Fábio Vare explicou ao UOL Esporte como surgiu a ideia de alugar o espaço:

"Já era um sonho antigo do nosso grupo. Temos algumas bandeiras, como a democratização do Vasco, valorização de suas sedes, recuperação da sua história... Finalmente a oportunidade apareceu, o imóvel estava para alugar e não pensamos duas vezes. Ali nasceu o Vasco. Visitamos o local e vimos um filme imaginando como, há 122 anos, ali aconteceu a reunião que gerou essa paixão que nos move até hoje".

"Pequena África"

O bairro da Gamboa, em que está a casa onde o Vasco nasceu, faz parte de uma localidade no Rio de Janeiro que ficou conhecida como Pequena África, que compreende ainda os bairros da Saúde, Santo Cristo e a zona portuária. Fica próxima ao Centro da cidade.

O nome de Pequena África foi dado pelo compositor Heitor dos Prazeres no começo do século 20 e já apareceu em algumas publicações, assim como músicas e enredos de Escola de Samba.

A região tem pontos como o Morro da Conceição, a Pedra do Sal, o Largo de São Francisco da Prainha, Cemitério dos Pretos Novos, o Jardim Suspenso do Valongo, e o Cais do Valongo, declarado Patrimônio da Humanidade em 2017, pelo Comitê do Patrimônio Mundial da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura).

A localidade tem grande importância na história da cultura afro-brasileira. Inaugurado em 1811, o cais foi o principal ponto de desembarque de escravos africanos nas três Américas. Naquela área, que ainda não era urbanizada, eram feitos o trânsito e o comércio de escravos.

Após a proibição do comércio de escravos no Brasil, escravos libertos passaram a trabalhar na região. Na virada do século 19 para o século 20, negros de diversas partes do país foram para a região em busca de trabalho e acolhimento.

Atualmente, há roteiros de visita pelos diversos pontos da Pequena África. Apesar da revitalização de alguns lugares, muitos locais importantes ainda sofrem com os recursos escassos.

Vasco