PUBLICIDADE
Topo

Brasileirão - 2020

Raio-X do Gre-Nal: Gols de bola rolando em 2020 nasceram no mesmo lado

Lado esquerdo de ataque é responsável por 100% dos gols de bola rolando em clássicos - Pool/Getty Images
Lado esquerdo de ataque é responsável por 100% dos gols de bola rolando em clássicos Imagem: Pool/Getty Images

Jeremias Wernek e Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

01/10/2020 04h00

Classificação e Jogos

Neste sábado (3), Grêmio e Inter se enfrentam pela sexta vez na temporada. Até agora, apenas um time venceu e fez gols: o Tricolor. E o caminho, em lances de bola rolando, foi sempre o mesmo. Ainda que de formas diferentes, todas as jogadas que acabaram na rede do Colorado começaram no lado esquerdo de ataque. O duelo do fim de semana é válido pela 13ª rodada do Brasileirão.

A reportagem do UOL Esporte analisou todos os lances de gol dos clássicos do Rio Grande do Sul em 2020 e achou semelhanças na construção em quatro deles — todos os feitos em lances de bola rolando. O que ficou de fora foi a falta de Jean Pyerre, que entrou graças a um desvio na barreira. Exceção no ano.

Onde nasce o gol

Foram quatro gols de bola rolando em clássicos neste ano. Diego Souza, Maicon, Isaque e Pepê marcaram. Todos os lances começaram no lado esquerdo de ataque do Grêmio, e direito de defesa do Internacional.

E as semelhanças não param por aí. Em três destes gols um jogador do Grêmio foi ao fundo, fez movimento de retorno, e ergueu a bola em direção ao gol num cruzamento ou passe por cima praticamente do bico da área, sempre em diagonal.

Os lances citados são: cruzamento de Everton para o gol de cabeça de Diego Souza no clássico do Beira-Rio, pela semifinal do primeiro turno do Gaúcho; cruzamento de Everton para escorada de Diego Souza e gol de Maicon, no clássico na Arena, pela final do segundo turno do Estadual; e passe elevado de Everton para gol de Isaque, após falha de Moisés, no mesmo jogo.

Em todos estas construções, o jogador do flanco esquerdo recuou, buscou um companheiro em diagonal e terminou em gol.

Quem participa

Outra semelhança dos gols, além do lado que surgem e do tipo de jogada, é a posição de quem construiu a oportunidade. As chances que foram concluídas com sucesso tiveram, invariavelmente, a participação do extrema-esquerda do Grêmio. Antes Everton, agora Pepê.

A única jogada que não foi cruzamento ou passe por cima foi o gol do Menino Maluquinho, no último duelo entre Inter e Grêmio, ocorrido no dia 23, pela Libertadores. Ao invés de procurar um companheiro, ele bateu de fora da área e mandou para a rede.

Tempo dos gols

Foram cinco gols marcados nos clássicos de 2020, todos no segundo tempo. O Grêmio — que fez todos — nunca iniciou vencendo na primeira etapa, sempre balançou as redes no fim. Diego Souza nos acréscimos, Jean Pyerre aos 18, Maicon aos 5, Isaque aos 36 e Pepê aos 29 da etapa complementar.

E a defesa...

O Internacional também encontra fatos similares nos lances em que foi vazado. Quem controlou as ações do jogador que estava com a bola em três momentos foi o lateral direito. Duas Rodinei, uma Saravia. E em um dos lances, foi Boschilia que deu o primeiro combate. Dentro da área, Cuesta perdeu por cima duas vezes para Diego Souza, e Moisés falhou no gol de Isaque.

Neste sábado, Grêmio e Inter voltam a se enfrentar, agora na Arena, pelo Brasileirão. Enquanto o Colorado busca quebrar um jejum de dez clássicos sem vencer, o Tricolor tenta manter supremacia absoluta. E os caminhos para ambos os objetivos parecem que estão indicados.