PUBLICIDADE
Topo

Brasileirão - 2020

Mauro Cezar: "Flamengo tem que se virar e jogar com o time que tem"

Do UOL, em São Paulo (SP)

24/09/2020 13h53

Classificação e Jogos

A tabela do Campeonato Brasileiro prevê o duelo entre Palmeiras e Flamengo acontecendo neste domingo (27), às 16h (de Brasília), no Allianz Parque, pela 12ª rodada da competição. No entanto por conta do surto de covid-19 no elenco rubro-negro, os dirigentes do time carioca pediram o adiamento do confronto a CBF indicando prejuízo técnico pelo alto número de desfalques, além do risco de novos casos de contaminação pelo vírus.

No 'Fala, Maurão' desta semana, o colunista do UOL Esporte, Mauro Cezar afirmou que o Flamengo precisa se virar e levar a campo o time que tem para o momento. Além disso, ressaltou que o clube tem que encarar a situação como se os atletas infectados estivessem lesionados ou suspensos.

"O Flamengo tem que dividir o seu problema com o Palmeiras ou demais participantes do Campeonato Brasileiro? A meu ver, não. O Flamengo tem que se virar e jogar com o time que tem. O Flamengo é o time que mais defendeu a volta do futebol, de forma apressada, e agora é o que defende a volta do público aos estádios", disse.

"Diante disso, o Flamengo tem que se virar com o time que possui no momento, como se fossem jogadores contundidos e suspensos", completou.

Para o jornalista, o próprio time paulista não se preocupa com a saúde de seus atletas, já que mesmo com o surto de covid-19, o presidente Maurício Galiotte afirmou que quer que o jogo aconteça e acredita no protocolo seguido pela CBF. Mauro ainda falou que se a situação fosse inversa, com o Palmeiras sofrendo desfalques pelo novo vírus, a postura do Flamengo seria a mesma do Alviverde.

"O lado da saúde: se as pessoas estão preocupadas com a saúde dos atletas o jogo não pode acontecer. O próprio Palmeiras deveria ser o primeiro a falar: 'não quero jogar, porque não quero que jogadores do Flamengo infectados passem o vírus aos meus jogadores'. Mas o Palmeiras quer jogo, parece que o Palmeiras não está preocupado com a saúde de seus atletas. Se o papel fosse inverso, a conduta seria o mesmo, no Brasil as coisas acontecem assim", concluiu.