PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Com autocrítica, Náutico lança camisa inspirada no movimento antirracista

Do UOL, em São Paulo

18/09/2020 14h03

O Náutico lançou hoje uma camisa inspirada no movimento "Black Lives Matter" (Vidas Negras Importam, em português), fazendo uma autocrítica sobre seu histórico de exclusão da comunidade negra nas dependências da agremiação.

Em vídeo divulgado nas redes sociais, o clube pernambucano mostra imagens de casos de racismo sofridos pelos atacantes Taison, na Ucrânia, e Neymar, na França. "Isso precisa acabar", diz o narrador.

Em seguida, é dito que o Náutico é um clube orgulhoso de sua própria história, "com títulos, grandes craques, uma torcida fiel e apaixonada e um estádio com alma". "Mas tem uma parte do nosso passado que a gente não se orgulha", segue.

"Fomos o último clube grande [de Pernambuco] a permitir negros vestindo a camisa alvirrubra. O preto não fazia parte das nossas cores", conta o narrador.

A partir daí, o vídeo é protagonizado pelo ex-goleiro Nilson, ex-goleiro do Santa Cruz e do Náutico que sofreu ataques racistas de torcedores do alvirrubro quando defendia as cores do tricolor pernambucano no início dos anos 2000.

"Era um coro racista, imitando um som de um macaco. E foi um som muito forte. Você se lembra daquele som novamente, e você sabe que aquilo foi feito por causa da cor da sua pele", relembra o jogador.

"Gostaríamos de apagar esses casos de racismo do nosso passado, mas isso não é possível. Um pedido de desculpas não é suficiente", retoma o narrador.

"O que a gente pode e vai fazer é contribuir cada vez mais no combate ao racismo estrutural e a violência contra os negros", finaliza. Em seguida, Nilson aparece no vídeo vestindo a nova camisa e, de punho cerrado, diz: "o Náutico também é preto!".

Futebol