PUBLICIDADE
Topo

Fluminense

Odair vê Flu melhor no 2º tempo, e garante Nenê titular apesar de má fase

Caio Blois

Do UOL, no Rio de Janeiro

13/08/2020 00h57

O empate por 1 a 1 com o Palmeiras não era o resultado que o Fluminense queria, mas o placar foi justo dada a pobreza de ideias do jogo. Dentro de tanto equilíbrio, o técnico Odair Hellmann viu o Tricolor ligeiramente melhor no segundo tempo, e acredita que sua equipe merecia melhor sorte.

"A resposta do grupo foi muito boa, tanto de quem iniciou quanto de outros jogadores que entraram no segundo tempo. Merecíamos uma situação diferente até. Acredito que no segundo tempo fomos melhor no jogo, que ficou em aberto porque o Palmeiras, no primeiro tempo, baixou a linha de marcação e deixou a gente com a bola. Nossos números de posse de bola e quantidade passes mostram isso. O Palmeiras criou pouco, não foi só o Fluminense. Foi um jogo de poucas chances", opinou.

E apesar de reconhecer as dificuldades de construção do seu time, também por conta do adversário, Odair não pensa em mexer no principal homem de criação: Nenê. O treinador garantiu a titularidade do meia de 39 anos, que não vive boa fase.

"Nenê continua e continuará iniciando. Vai iniciar a próxima partida. Como aqui dentro tem bastante fonte para vazar informação para fora, eu serei a sua fonte para essa informação. Se tiver que mudar por uma avaliação técnica, tática ou de característica, farei com qualquer jogador, porque os vejo com a mesma importância, para qualquer jogador", afirmou.

Pelo segundo jogo seguido, o camisa 77 foi o jogador que mais errou passes no time do Flu — apesar de, mais uma vez, não ter sido quem mais passou a bola em termos absolutos. Ainda assim, pouco para que o técnico o tire do time titular. Em contrapartida, Odair preferiu ressaltar a força do grupo, que deu uma resposta boa com as mexidas para o jogo, em sua opinião.

"A resposta do grupo foi muito boa tanto de quem iniciou quanto de outros jogadores que entraram no segundo tempo. Tivemos dificuldades de iniciação, tomamos um gol de um único lance, eles acharam um gol em um erro nosso. Buscamos um gol através da construção, tivemos força para buscar um empate e depois a vitória", disse.

Outro veterano também mereceu uma resposta à parte: Fred, que retornou de cirurgia no olho, mas deixou o campo ainda no primeiro tempo com dores na coxa. Barrado para a sua entrada, Marcos Paulo entrou em seu lugar e melhorou a equipe.

"Avaliação do Fred é que ele está retornando de uma situação que teve. Estamos fazendo uma volta gradativa. Entrou no segundo tempo de um jogo, agora entrou em outro. A ideia é voltar aos poucos, porque é um grande jogador e vai nos ajudar muito. Valorizo o grupo, Fred faz parte dele, é um excepcional jogador que quando iniciar partidas vai nos ajudar, mas também quando não iniciar, ajudará também porque é um líder. Tenho certeza que irá nos ajudar em campo, como muitos outros jogadores", destacou.

Confira outros tópicos da coletiva de Odair Hellmann:

Mudanças

Tivemos muitas modificações com jogadores que não vinham jogando e deram ótima resposta. Vamos precisar de todos muito bem para que em determinado momento possamos iniciar com escalações diferentes por circunstâncias que irão acontecer ou mesmo por mudança de característica. Todos vão jogar, participar. É um campeonato muito difícil que te exige ir até o limite, e temos que estar com o grupo à disposição para fazer os jogos na alta intensidade que é exigida, para que busquemos a pontuação e por consequência um bom campeonato.

Coronavírus

Todos que estão indo trabalhar estão expostos. Não só no futebol. A pandemia continua e vai continuar. A doença está entre nós. Temos o privilégio de sermos muito assistidos pelo Fluminense e sua estrutura, pela CBF, que organiza a competição. É um privilégio. Coisa que pessoas que precisam de um teste, que trabalham em outras profissões, tem dificuldade. SOmos privilegiados. Mas essas coisas vão acontecer, claro que é ruim. O que não pode é ter resoluções diferentes para situações iguais. Eu vou para a minha casa, minha família não sai. Saio do trabalho para casa e só. Tento me cuidar e cuidar do clube que estou. Espero que não tenha

Atuação

Merecíamos uma situação diferente até. Acredito que no segundo tempo fomos melhor no jogo, o jogo ficou em aberto porque o Palmeiras no primeiro tempo baixou a linha de marcação e deixou a gente com a bola, mostrando que nosso números de posse de bola e números de passe. O Palmeiras não criou nada. Foi um jogo de poucas chances. Fizemos um gol, volume de jogadas no ultimo terço está bom e o que procura progredir é aumentar a efetividade na parte final. Com os números frios sem o sentimento do jogo, foi um jogo muito disputado, de muitas faltas. O Marcos Rocha deve ter feito 43 faltas. Foi um jogo muito competido. A partir dos 15 do primeiro tempo, passando a dificuldade inicial, mas passando a dificuldade de encontrar nossa construção acho que a gente retornou, teve força e evoluimos gradativamente para ter um segundo tempo melhor, mas não traduzimos em chances e gols porque o jogo não permitiu. Mas espero que isso aconteça para conseguirmos resultados e vitórias.

Utilização do grupo

Isso não é em relação ao Fred, é em todos os jogadores. Você pode ver que nessas duas partidas do Brasileiro tivemos algumas modificações em relação a jogadores que até não vinham jogando, jogaram e deram boa resposta. Isso é resposta de grupo. Domingo já tem jogo novamente. Com certeza precisaremos de todos muito bem para que em determinado momento poossamos usar da importância do grupo, em alguns momentos por sequência física, outros por opção, de variação de característica. Vão jogar todos, todos participarão. Em algum momento uns terão uma sequência maior, em outro momento terão que dar uma segurada para recuperar, para poder estar 100% em uma próxima etapa. Porque é um campeonato muito difícil, que te exige o limite. E temos que estar com esse grupo, como estou tendo nestas duas partidas à disposição para que consigamos fazer os jogos na alta intensidade que é exigida, na qualidade que propomos, para que busquemos as vitórias e uma boa pontuação.

Peças para melhorar a criação

O meia no campo, é o Nenê. O Michel também pode fazer. A profundidade você dá com quem dentro da sua ideia você consegue encaixar na beirada. Amplitude tem, é para ter. Michel Araujo, polivalente. Ele chegou para a gente como um meia. Foi evoluindo a parte técnica, física, de disputa e hoje o Michel pode jogar no lado como pode jogar por dentro, avançado, na inversão no tripe. Como pode fazer hoje lateralizando ele e Dodi. Abrimos com esses dois. O Yago é um pouco diferente. O Dodi por trás de todos esses. É buscar esse equilíbrio entre as funções para fazer um time forte.

Fluminense