PUBLICIDADE
Topo

Santos

Sasha segue no Santos: juiz se assume 'suspeito' e revoga rescisão

Eder Traskini e Thiago Fernandes

Do UOL, em Santos e em Belo Horizonte

01/08/2020 19h15

O juiz Carlos Ney Pereira Gurgel revogou hoje a decisão que rescindia o contrato de Eduardo Sasha com o Santos. Na nova decisão, ele "se deu por suspeito por motivo de foro íntimo". Como o UOL Esporte publicou mais cedo, o juiz possui fotos em sua rede social com a camisa do Atlético-MG, clube interessado em contratar Eduardo Sasha.

Sasha processou o Santos pedindo rescisão de contrato alegando atraso do recolhimento de FGTS desde novembro, além do corte de 70% dos salários em carteira durante os três meses de paralisação do futebol sem que houvesse um acordo com o elenco.

A defesa do Peixe alegou, em documento obtido com exclusividade pelo UOL Esporte, que não houve corte salarial, mas sim retenção emergencial com garantia de devolução. O clube alegou que a prioridade era manter os empregos dos funcionários - o Santos foi um dos únicos a não demitir ninguém durante o período de paralisação.

No entanto, a intimação da justiça era para que o Peixe apresentasse o acordo coletivo pelo corte salarial efetuado, de 70%. Não há acordo para tal corte, mas o clube da Vila Belmiro alegou a "garantia de devolução" e utilizou o aceite dos atletas para o corte de 30% para justificar. Para o Santos, os atletas aceitaram um corte 5% maior do que o que foi realizado, uma vez que - para o Peixe - não houve corte, mas sim retenção emergencial.

Agora, o processo passará para outro juiz que irá julgar novamente com base em tudo que já foi apresentado. Neste momento, Eduardo Sasha ainda é jogador do Santos.

Santos