PUBLICIDADE
Topo

Pressão aumenta, mas cúpula do Santos ainda segura Jesualdo no cargo

Jesualdo Ferreira orienta os jogadores durante treino do Santos, no CT Rei Pelé - Ivan Storti/Santos FC
Jesualdo Ferreira orienta os jogadores durante treino do Santos, no CT Rei Pelé Imagem: Ivan Storti/Santos FC

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

01/08/2020 04h00

O técnico Jesualdo Ferreira está sob pressão no comando do Santos. Após a eliminação no Campeonato Paulista, na última quinta-feira (30), a insatisfação com o trabalho do português aumentou dentro dos corredores da Vila Belmiro, mas a alta cúpula santista ainda sustenta o treinador, que tem vínculo até o fim deste ano.

O principal defensor do português é o superintendente de futebol, William Thomas. O cartola tem raro poder dentro da direção santista, muito mais do que tiveram os homens fortes que o precederam na gestão do presidente José Carlos Peres.

O mandatário sofre forte pressão dentro de seu Comitê de Gestão, mas ainda deixa a decisão nas mãos de William Thomas. O superintendente foi quem "buscou" Jesualdo em Portugal, se reunindo por 20 horas com o técnico para apresentar o projeto. O nome do técnico foi a primeira opção santista após a saída do argentino Jorge Sampaoli, hoje no Atlético-MG.

O que mais incomoda até aqui é a forma de jogar. Diretores avaliam que o Peixe perdeu um pouco da essência e em nada se parece com o time que mostrou poder ser em 2019, sob comando do argentino.

O fraco desempenho no Campeonato Paulista, se classificando como pior líder de grupo desde a implantação do atual formato no Estadual, também agrega para as críticas.

Até aqui foram 15 jogos, com seis vitórias, quatro empates e cinco derrotas. O Peixe foi eliminado nas quartas de final do Paulista após derrota, de virada, para a Ponte Preta, mas lidera seu grupo na Libertadores. A estreia no Brasileirão está marcada para o dia 9 (domingo), na Vila Belmiro, contra o Red Bull Bragantino.

Santos