PUBLICIDADE
Topo

Dudu pede, e Palmeiras acena com empréstimo, mas fixa valor em R$ 42 mi

Marcello Zambrana/AGIF
Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

Danilo Lavieri

Colaboração para o UOL, em São Paulo

05/07/2020 20h54

Se não quiser ficar com Dudu em definitivo, o Al-Duhail, do Qatar, precisará desembolsar 7 milhões de euros pelo empréstimo de um ano, o que significa quase R$ 42 milhões na cotação de hoje. O valor pode aumentar caso metas sejam cumpridas e o salário seria pago de maneira integral pelo time árabe. Esse modelo de negócio foi discutido na reunião de sexta-feira (3) na Academia de Futebol, conforme apurou o UOL Esporte.

Por contrato, nessa conjectura, o Al-Duhail poderia exercer a compra após um ano pagando mais 6 milhões de euros e, então, ficar com o atleta em definitivo. Caso contrário, o atacante voltaria ao Brasil e seguiria vinculado ao Alviverde.

A possibilidade surgiu após o jogador insistir que gostaria de deixar o Palestra Itália nesta temporada por conta dos problemas pessoais que vive no Brasil. A diretoria palmeirense já havia colocado o preço de 14 milhões de euros (sendo 13 milhões de euros fixos e 1 milhão de euros dependendo de metas) como mínimo para que o negócio acontecesse.

Dudu insistiu e pediu para que um empréstimo também fosse considerado. A diretoria, então, colocou como condição que o valor nessa modalidade fosse de 7 milhões de euros. Não há, no entanto, um acordo assinado.

Como mostrou o UOL Esporte, o Palmeiras ouviu do estafe do atleta que um documento oficializando uma proposta chega até terça-feira (7). Essa, no entanto, não é a primeira vez que há a promessa de que o interesse seria formalizado. Por isso, o time paulista adota cautela na negociação.

O Palmeiras entende que o negócio ajudaria o time a se recuperar do baque financeiro sofrido pelos clubes durante a pandemia e, de quebra, ainda significaria uma economia de mais de R$ 15 milhões com os 12 meses de salário do atleta.

Futebol