PUBLICIDADE
Topo

'Junto do Flamengo, SPFC é quem melhor joga no Brasil hoje', diz Dani Alves

Santo Andre x São Paulo - Daniel Alves, jogador do São Paulo - Marcello Zambrana/AGIF
Santo Andre x São Paulo - Daniel Alves, jogador do São Paulo Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

Colaboração para o UOL, em São Paulo

02/07/2020 19h40

O meio-campista do São Paulo Daniel Alves acredita que o time estava apresentando o melhor futebol do Brasil - ao lado do Flamengo - antes da paralisação. Na opinião do jogador, o sistema de jogo implantado pelo treinador Fernando Diniz no time paulista é o responsável por essa realidade.

"O que está diferenciando nossa equipe hoje em dia é que nosso treinador está fazendo os jogadores entenderem que o jogo coletivo vai fazer com que todos se destaquem individualmente.(...) Se as pessoas, no contexto geral, começarem a comprar - torcida, equipe, direção e jogadores - o projeto que o Diniz traz com seu estafe, tenho certeza que o São Paulo vai voltar a ser o que era e vai encantar outra vez seus torcedores. Acredito que hoje é a equipe que melhor joga, que melhor trata a bola, junto ao Flamengo. Pelo destaque individual que o Flamengo tem ele é mais letal. Mas hoje no futebol brasileiro são as duas melhores equipes", avaliou o jogador em entrevista ao Canal Zico 10, no YouTube.

Daniel Alves acredita que tem uma mentalidade de futebol mais evoluída pelo tempo que passou na Europa e admitiu que demorou um tempo para se adaptar ao sistema de jogo praticado no Brasil.

"Como eu passei muito tempo lá fora, criei a mentalidade de um futebol um pouco mais evoluído em termos gerais. Eu vim para o Brasil e, como todo ser humano, precisei de adaptação: de filosofia, de sistema. E eu fui contratado para jogar no meio-campo. Já estava jogando no meio-campo no PSG. Eu não temo o desafio porque confio no meu trabalho, na minha entrega. Os que estão junto têm que confiar também", disse.

"Não acredito que quando eu cheguei no São Paulo e estava jogando no meio que estava fora de sintonia. Acredito que outras circunstâncias, sim, não eu. Mas eu era o cara que tinha sido contratado. Então os caras quase que exigiam que eu pegasse a bola, batesse o tiro de meta para mim mesmo, driblasse todo mundo, driblasse o goleiro dos caras e fizesse o gol. Eu disse: 'Desculpa, mas vocês estão equivocados. Sou um jogador de otimizar quem está ao lado. Sou jogador de servir, de construir e armar'", continuou.

Lateral direito de origem, Daniel Alves contou que não gostou de ser escalado nesta posição no São Paulo e que deixou a situação clara em conversas dentro do clube.

"Falei para o clube: 'Cara, se você me colocar num time que não está acostumado a jogar coletivo, de lateral direito, estão cometendo uma loucura com vocês mesmos'. Como faz um investimento em um jogador que pode ajudar sua equipe ser muito melhor, equilibrada, gerar mais jogo e mais ocasiões de gol, e você coloca ele pegado numa parte pequena do campo?", completou.

UOL Esporte vê TV