PUBLICIDADE
Topo

Cruzeiro paga dívida e evita nova perda de pontos na Série B

Sérgio Santos Rodrigues, presidente do Cruzeiro, e Pedro Lourenço, patrocinador do Cruzeiro - Gustavo Aleixo/Divulgação/Cruzeiro
Sérgio Santos Rodrigues, presidente do Cruzeiro, e Pedro Lourenço, patrocinador do Cruzeiro Imagem: Gustavo Aleixo/Divulgação/Cruzeiro

Do UOL, em Belo Horizonte

28/05/2020 17h44

O Cruzeiro se livrou de perder mais pontos para a disputa do Campeonato Brasileiro da Série B. O novo mandatário, Sérgio Santos Rodrigues, informou que o clube quitou parte da dívida de R$ 11 milhões com o Zorya, da Ucrânia, contraída após a contratação do atacante Willian Bigode, evitando assim uma nova punição imposta pela Fifa.

"A dívida da Fifa já está paga. O Cruzeiro não vai ter problema de perda de pontos mais. Podem ter certeza", disse o mandatário, durante uma live transmitida pelo clube na internet. O clube arcou com os R$ 3,5 mi exigidos dentro do prazo desta sexta-feira (29).

O dirigente confirmou o pagamento do débito pelo Supermercados BH, patrocinador do clube, e explicou como funcionará o acordo com a empresa presidida pelo conselheiro Pedro Lourenço.

"Como nosso parceiro querido Pedro Lourenço já havia falado essa semana, isso não vai acontecer no Cruzeiro. Na terça-feira, nos reunimos com o Bruninho, filho do Pedro, e apresentamos um novo projeto entre Cruzeiro e Supermercados BH. O Pedro foi trending topics no Twitter depois que deu a entrevista de terça-feira. Eu e os outros milhões de cruzeirenses somos muito gratos à sua família por tudo o que você fez. O dinheiro que veio para pagar isso veio de uma parceria. O novo Cruzeiro faz parceria com as pessoas, não é uma doação", acrescentou Sérgio Rodrigues.

A dívida da Fifa não foi o único pagamento feito pelo Cruzeiro nesta tarde. O clube ainda quitou a folha salarial de atletas e funcionários: "A TED dos funcionários foi feita junto com a TED do Zorya", concluiu o novo presidente cruzeirense.

O Cruzeiro já perdeu seis pontos na Série B, após punição imposta pela Fifa, devido não pagamento de uma dívida de R$ 6 milhões ao Al-Wahda, dos Emirados Árabes Unidos, pelo empréstimo de Denílson, ocorrido em 2016.

Errata: o texto foi atualizado
Ao contrário do informado anteriormente, o Cruzeiro pagou hoje (28) R$ 3,5 milhões. O restante da dívida, que totaliza R$ 11 milhões, não vence agora. O erro foi corrigido.

Cruzeiro