PUBLICIDADE
Topo

Cruzeiro

Cruzeiro vê acordo encaminhado para quitar dívida por Willian na Fifa

Sérgio Santos Rodrigues, presidente do Cruzeiro, está animado com a possibilidade de acordo com clube ucraniano - Gustavo Aleixo/Divulgação/Cruzeiro
Sérgio Santos Rodrigues, presidente do Cruzeiro, está animado com a possibilidade de acordo com clube ucraniano Imagem: Gustavo Aleixo/Divulgação/Cruzeiro

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

27/05/2020 04h00

Com a promessa de ajuda de Pedro Lourenço, sócio-proprietário do Supermercados BH, o Cruzeiro está confiante com a possibilidade de quitar a dívida de R$ 11 milhões com o Zorya, da Ucrânia, pela aquisição de Willian Bigode, ocorrida em 2014.

O clube corre riscos de perder mais seis pontos na Série B do Campeonato Brasileiro 2020 se não fizer um acordo com os ucranianos até sexta-feira (29), data imposta pela Fifa para pagamento do débito. No entanto, com o auxílio de Pedrinho, como o parceiro é conhecido, a Raposa crê que não terá problemas para quitar a pendência financeira.

"Quanto ao [Willian] Bigode, está caminhando. Eu falei isso até em entrevistas, mas está caminhando para dar certo. Espero que até quarta (hoje) a gente consiga. Não posso prometer ainda", disse o presidente do Cruzeiro, Sérgio Rodrigues, em mensagem telefônica ao UOL na noite da última segunda-feira (25).

O desejo inicial do Cruzeiro era parcelar o débito com o Zorya, da Ucrânia. No entanto, o clube europeu recusou a proposta. Os mineiros ainda tentaram o adiamento para pagamento da dívida por 30 dias, mas diante da promessa de Pedro Lourenço, a situação deve ser antecipada e paga até sexta.

O Cruzeiro já perdeu seis pontos na Série B, após punição imposta pela na Fifa, pelo não pagamento de uma dívida de R$ 6 milhões ao Al-Wahda, dos Emirados Árabes Unidos, pelo empréstimo de Denílson, ocorrido em 2016.

Cruzeiro