PUBLICIDADE
Topo

Fluminense admite possibilidade de fim do Carioca sem campeão

Mario Bittencourt, presidente do Fluminense - Mailson Santana/Fluminense FC
Mario Bittencourt, presidente do Fluminense Imagem: Mailson Santana/Fluminense FC

Colaboração para o UOL, em São Paulo

25/05/2020 22h56

Mario Bittencourt, presidente do Fluminense, admitiu hoje a possibilidade de o Campeonato Carioca ser finalizado sem um campeão. O mandatário tricolor declarou que gostaria que a competição fosse definida dentro de campo, mas apenas se houver condições de saúde para que isso seja feito com tranquilidade.

"A posição do Fluminense é que assim que houver condições humanas, de saúde, de tranquilidade para os jogadores, funcionários e população, a gente conclua o Campeonato Carioca no campo, sim. Agora, se não houver essa possibilidade, que o campeonato seja encerrado sem campeão, assim como foi em diversos países. Acredito que vamos superar isso em breve, desde que as pessoas respeitem a quarentena. E, logo ali na frente, com a curva descendo, com o comitê científico dando garantias de retorno, que o futebol possa dar um retorno à população por ter sido um dos setores que cumpriu a quarentena. Por mais que os brasileiros amem o futebol, e muitos dependam do futebol, nós não somos uma atividade essencial. E o nosso posicionamento é de preservar vidas em vez de se preocupar exclusivamente com a situação econômica", declarou em entrevista ao Bem, Amigos!, do SporTV, hoje.

O presidente do clube carioca afirmou ainda que o Fluminense tem como objetivo mostrar que o futebol cumpriu o isolamento social, dando exemplo a jovens e a atletas.

"Essa não é uma luta do Fluminense ou do Botafogo, é uma luta de todas as torcidas. É uma luta de todo o povo do Rio de Janeiro, de todo o povo brasileiro. Nossa intenção é pura e simplesmente mostrar à sociedade que o futebol está cumprindo e contribuindo com o isolamento social. O posicionamento do Fluminense é de salvar vidas, contribuindo com a sociedade, sendo exemplo para os jovens e para nossos atletas", completou.

UOL Esporte vê TV