PUBLICIDADE
Topo

Único francês da história do Grêmio sumiu e clube sequer tem foto

Danlaba Mendy jogou menos de 10 partidas pelo Grêmio e fez um gol - Reprodução
Danlaba Mendy jogou menos de 10 partidas pelo Grêmio e fez um gol Imagem: Reprodução

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

24/05/2020 04h00

Contar a passagem do único francês que jogou com a camisa do Grêmio não é uma tarefa simples. Danlaba Mendy passou por Porto Alegre em 1998 e não deixou saudades. Pior que isso: gerou poucos registros. Nem mesmo o clube gaúcho tem foto do atacante, que chegou ao estádio Olímpico graças a um intercâmbio com escola de futebol dos Estados Unidos.

Para começo de conversa, Danlaba nasceu na França, mas tem nacionalidade é de Senegal. Cresceu nos Estados Unidos e foi lá que passou a jogar futebol.

Aos 22 anos, chegou ao Grêmio e iniciou a carreira profissional que depois seguiu no Troyes, Dieppe e Noisy-le-Sec (todos da França).

Segundo a Grêmiopedia, Danlaba jogou oito partidas pelo clube gaúcho e marcou um gol. Contra o Peñarol.

"Ele estava fazendo estágio no Grêmio, isso posso garantir. Era estágio, não foi contratado como reforço", assegura César Pacheco, então dirigente do Grêmio. "Um dia tivemos carência de jogadores, por lesões e suspensões, e aí o Danlaba foi relacionado para um jogo do Gauchão. Ficou ali, jogou mais uns jogos e deu no que deu", completa.

O Grêmio não tem foto de Danlaba no memorial do clube. Também não é possível encontrar vestígios da passagem no site oficial gremista. Os fragmentos dos dias do primeiro (e até agora único) francês a jogar pelo tricolor estão na memória de quem viu ou esteve com ele.

"Era um cara gente boa, legal", relembra Pacheco. "Veio num intercâmbio com escola de futebol dos Estados Unidos", detalha.

Tanque muçulmano

Danlaba impressionou muita gente no Olímpico pelo porte físico, mas não conseguiu acompanhar o ritmo dos treinos técnicos. Aos poucos, foi ficando para o fim da fila.

"Ele era garotão, então a gente tinha convívio bem legal. Sempre alegre, bom astral. Era um atleta bem forte. A gente até brincava que o bicho era um tanque, mas não tinha aquela malícia para encarar um campeonato de nível mais alto", conta Rodrigo Costa, ex-zagueiro do Grêmio e integrante do elenco de 1998.

Costa lembra uma passagem curiosa envolvendo a religião do então colega de clube.

"Concentrei com ele algumas vezes, era meu colega de quarto, e lembro que ele era muçulmano. Um dia, acordei de madrugada para pegar água, eu acho, e ele estava acordado rezando num canto do quarto. Tomei um susto enorme. Eu não conhecia nenhum muçulmano na época e achei bem legal", relembra.

Sumiço (de novo)

Se Danlaba sumiu dos registros do Grêmio, em fotos, na França foi pior. Desapareceu por completo. Foi em 2000, durante temporada com o Troyes, quando ficou um mês sem aparecer no clube. Dirigentes e jogadores chegaram a temer por sequestro, segundo o site Afrik Foot.

"Danlaba viajou ao Senegal sem avisar ninguém. Aparentemente, ele foi visitar o pai doente", escreveu o noticioso.

Os jogadores próximos de Danlaba nos tempos de Grêmio não têm contatos do jogador. Esperam, um dia, reencontrar o atacante.

"Ele fazia grande esforço para se integrar e sempre foi bacana", finaliza Rodrigo Costa.

Futebol