PUBLICIDADE
Topo

Para advogado, covid-19 manterá Neymar como mais caro da história

Neymar comemora a classificaçãop do PSG para as quartas de final - REUTERS
Neymar comemora a classificaçãop do PSG para as quartas de final Imagem: REUTERS

Colaboração para o UOL, em São Paulo

09/05/2020 17h27

Para Marcos Motta, advogado que participou da venda de Neymar para o Paris Saint-Germain, a pandemia de coronavírus manterá o craque no posto de transferência mais cara da história do futebol por mais tempo.

Convidado do Bola da Vez, programa da ESPN que vai ao ar neste sábado, às 22h (de Brasília), Motta acredita que os valores alcançados na saída do brasileiro do Barcelona dificilmente serão alcançados. Segundo ele, antes mesmo da covid-19, o mercado já se mostrava mais cauteloso em relação a contratações.

"A operação do Neymar foi divisora de águas. Tivemos ali uma operação que chamo de 2-2-2. A gente sempre discute quem inflacionou quem: O mercado inflacionou o Neymar ou o Neymar inflacionou o mercado? Sempre gosto de debater isso no ambiente acadêmico. Dificilmente essa cifra seria batida antes da covid-19, e agora dificilmente ela será alcançada, por uma série de motivos", opinou o advogado.

"Antes da covid, nós temos um controle maior financeiro por parte da Uefa, o fair play financeiro, o sistema de licenciamento que funcionou muito bem e de alguma forma conseguiu dar algum controle. Mas eu já experimentava um ajuste no mercado no ano passado. Nós já tínhamos alguma dificuldade em valores de transferência. Repito, depois do Neymar, repare que as transferências começam a baixar um pouco, os salários também começaram a se adequar em função do fair play financeiro da Uefa. A partir da covid, uma série de coisas, se dúvida nenhuma, vai mudar", completou.

Neymar foi apresentado no PSG em agosto de 2017. Na ocasião, o clube francês desembolsou 222 milhões de euros para tirar o craque do Barcelona.

UOL Esporte vê TV