PUBLICIDADE
Topo

Lopes indica BR e Carioca ao mesmo tempo e evita data: "Nem Mãe Dinah"

Rubens Lopes (centro), presidente da Ferj, em entrevista após reunião com os clubes por conta do coronavírus - Caio Blois / UOL
Rubens Lopes (centro), presidente da Ferj, em entrevista após reunião com os clubes por conta do coronavírus Imagem: Caio Blois / UOL

Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

24/04/2020 16h52

Classificação e Jogos

Em transmissão realizada na tarde de hoje (24) pela internet, Rubens Lopes, presidente da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj), indicou que o Carioca poderá ser disputado paralelamente a outros torneios.

Lopes ressaltou que isso já houve no passado e afirmou que os clubes têm elenco para dar conta destas disputas simultâneas.

"Vai ter jogo no sábado do Brasileiro? Vai ter no domingo o Estadual. Os clubes têm elenco para isso, isso já aconteceu pelo país afora. Isso não é uma novidade. No início do nosso campeonato, alguns clubes optaram por usar equipes mistas. Podemos afirmar que os jogos do Estadual vão seguir o que estiver previsto no regulamento", afirmou.

O dirigente, no entanto, não cogitou prever uma data de retorno para a volta das atividades. Em tom de ironia, Lopes falou que há muitos "profetas do caos" tentando adivinhar o futuro, mas que não há possibilidade alguma de uma previsão correta no momento.

"Essa resposta nem a (vidente) Mãe Dinah vai responder. Não há quem possa fazer uma previsão, seria totalmente imprudente. Só se tiver bola de cristal. Quem faz isso deve ter conhecimentos extraterrestres, não tem essa previsão. Posso afirmar que estamos prontos para esse recomeço. Somente as autoridades governamentais e de saúde podem nos falar, mas nem eles têm condições de estabelecer uma data. Não podemos ficar dando ouvidos aos profetas do caos. Falar até papagaio fala", afirmou.

O dirigente, que é médico por formação, disse não acreditar em partidas com público até o final do ano, mas reafirmou que o campeão carioca será conhecido dentro das quatro linhas:

"Não há limite de prazo, a única coisa que se tem certeza é que vai acabar no campo. Pode ser amanhã, no começo de maio, em junho...Quando for permitido e possível, isso vai acontecer".