PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Zagueiro do Inter vê time em ano "muito bom" e comenta briga em Gre-Nal

Cuesta durante partida entre Internacional e Universidad de Chile, pela Libertadores - Diego Vara/Reuters
Cuesta durante partida entre Internacional e Universidad de Chile, pela Libertadores Imagem: Diego Vara/Reuters

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

15/04/2020 04h00

Classificação e Jogos

Victor Cuesta é um dos destaques do Internacional em 2020. O zagueiro é titular da defesa que ainda não sofreu gols na Copa Libertadores e é a segunda menos vazada do Gauchão. Para o argentino, o time mostrava evolução em uma temporada "muito boa". Em entrevista ao UOL Esporte, o camisa 15 também comenta sobre a confusão no Gre-Nal de 12 de março, na Arena do Grêmio, que terminou com oito expulsos.

O argentino foi um dos que levou cartão vermelho. Além de Cuesta, Edenilson, Moisés e Praxedes foram expulsos no Inter. Pepê, Caio Henrique, Paulo Miranda e Luciano no lado do Grêmio.

"A gente precisa, de forma geral, reconhecer que não foi legal. Dos dois lados, não demos o exemplo que deveríamos dar. Serve de lição pra frente e pros próximos clássicos", disse.

Cuesta está de férias, como todo elenco do Inter, e admite que a rotina sem jogos é dura.

"Eu treino todos os dias pela manhã e à tarde fico em casa. Jogo carta, brinco com os cachorros, assisto séries. Tudo que a gente sempre faz quando tem uma folga e agora dá para fazer mais e mais. Não é fácil ficar o tempo todo em casa, mas vivemos um dia de cada vez. É uma questão de saúde", contou.

O Inter suspendeu treinos na semana seguinte ao Gre-Nal da fase de grupos da Libertadores. Dias depois, o clube deu férias aos atletas e mantém contato remoto para orientar treinos e buscar atualização do quadro de saúde do elenco.

"A gente sente falta, claro, do dia a dia no clube, do convívio com os colegas, da competitividade dos jogos. Estávamos num momento de crescente e tivemos de parar as atividades. Como falei, as restrições do dia a dia em casa nos limitam um pouco, mas a causa é mais importante e atinge a todos", afirmou Cuesta.

Os dias em casa permitem que Cuesta avalie bem o início de temporada do Inter. O time passou pela fase preliminar da Libertadores e tem a melhor campanha geral no Estadual — mesmo eliminado na semifinal do primeiro turno.

"[A temporada, até agora, é] Muito boa. Uma trajetória crescente no Estadual e muito regular na Libertadores, onde não sofremos nenhum gol. Tivemos o desafio cedo das primeiras fases na competição e passamos com merecimentos pelas duas", relembrou o zagueiro.

A chegada de Eduardo Coudet favoreceu Victor Cuesta. O zagueiro tem bom passe e gostou de receber mais liberdade do treinador.

"A gente já sabia da ideia dele, de buscar essa construção apoiada desde a defesa e mais agressividade na fase ofensiva. Eu gosto bastante, me identifico e sinto liberdade para jogar com a linha mais alta. Estávamos nos encaixando neste conceito de jogo, gradativamente. Precisamos ter cuidado, claro, para não ficarmos expostos como time", alertou.

Cuesta elege o Flamengo como principal adversário no Brasil, com um adendo: "fomos a equipe que melhor enfrentou eles na Libertadores [em 2019]". Mas a evolução do Inter anima: "Como dizemos na Argentina, fomos de menor a maior durante estes três meses", resumiu.

Futebol