PUBLICIDADE
Topo

Ronaldinho preso: mosquitos, medo de dengue e ajuda de ex-jogador do Fla

JORGE ADORNO
Imagem: JORGE ADORNO

Ricardo Perrone

Do UOL, em Assunção (PAR)

12/03/2020 04h00

Ronaldinho Gaúcho tem se queixado da existência de muitos mosquitos na Agrupação Especializada da Polícia Nacional do Paraguai, onde está preso em Assunção desde a semana passada.

A reclamação não é tratada como algo banal por seus advogados. Pelo contrário, há temor em relação ao risco de o ex-jogador do Barcelona e seu irmão, Assis, contraírem dengue na prisão.

O Paraguai sofre com a epidemia faz tempo. Segundo o site do Ministério da Saúde paraguaio, o país tem casos de dengue sem interrupção da circulação do vírus desde 2009.

Os advogados já tentaram tirar Ronaldinho e Assis da cadeia com pedido para que eles respondam ao processo por uso de documento paraguaio com conteúdo falso em liberdade ou em prisão domiciliar. Até agora, no entanto, eles não obtiveram sucesso.

Apesar do incômodo e da preocupação com os mosquitos, no geral, a defesa do ex-jogador do Barcelona diz que o tratamento que ele e seu irmão recebem na cadeia está dentro dos padrões.

Ex-colega de Fla dá suporte

Ronaldinho tem contado com a ajuda de um ex-colega de Flamengo para superar as dificuldades no cárcere em Assunção. O também ex-atleta Rodrigo Alvim está em Assunção auxiliando o amigo. Ele compra alimentos, como pizzas e sanduíches, para os irmãos. Alvim também cuida do fornecimento de produtos de higiene pessoal para a dupla.

Ronaldinho e Assis não têm se alimentado apenas do que vem de fora. Eles têm consumido até refeições preparadas por outros presos.

Em conversa com a reportagem, um dos guardas da prisão afirmou que a cadeia fornece alimentação aos presos e que ela é a mesma que está disponível para os funcionários.

Futebol