PUBLICIDADE
Topo

Flamengo

Parado em blitz, Bruno Henrique mostra CNH que não está no sistema

Bruno Henrique comemora o gol da virada sobre o Al-Hilal na semifinal do Mundial de Clubes - Alexandre Vidal/Flamengo
Bruno Henrique comemora o gol da virada sobre o Al-Hilal na semifinal do Mundial de Clubes Imagem: Alexandre Vidal/Flamengo

Beatriz Cesarini

Do UOL, em São Paulo

29/02/2020 12h42

O atacante do Flamengo Bruno Henrique apresentou uma CNH (Carteira Nacional de Habilitação) que não constava no sistema do Detran (Departamento de Trânsito) do Rio ao ser parado em uma blitz da Lei Seca na madrugada de hoje, na Barra da Tijuca.

Em contato com o UOL Esporte, o delegado Geniton Lages, titular da 16ª DP do Rio de Janeiro, informou que um inquérito policial foi instaurado para apurar o uso de documento falso, já que o documento que Bruno Henrique apresentou não foi encontrado no Infoseg. Além disso, uma perícia será feita para analisar se a CNH, emitida no estado de São Paulo, é falsa ou se houve erro no banco de dados do Detran.

Ainda de acordo com o delegado, o atacante apresentou uma carteira nacional de habilitação na delegacia. Bruno Henrique prestou depoimento e o documento foi apreendido e encaminhado para perícia no Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE).

A investigação está em andamento e, caso comprovado a falsidade do documento, ele poderá ser indiciado por uso de documento falso. O crime prevê pena de até seis anos de reclusão.

O jogador do Flamengo teria se recusado a fazer o teste do bafômetro para descobrir se havia álcool em sua corrente sanguínea no momento da blitz. Na agremiação rubro-negra, o caso está nas mãos do vice-presidente de futebol, Marcos Braz. O dirigente irá se pronunciar ainda hoje, após o duelo contra a Cabofriense.

Flamengo