PUBLICIDADE
Topo

Vitinho admite frustração inicial e fala sobre ser mais que o "12º" no Fla

Atacante Vitinho conduz a bola durante jogo do Flamengo - Alexandre Vidal/Flamengo
Atacante Vitinho conduz a bola durante jogo do Flamengo Imagem: Alexandre Vidal/Flamengo

Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

29/02/2020 04h00

Classificação e Jogos

Em um elenco recheado de astros por todos os lados, Vitinho trava uma batalha para ser um dos protagonistas do Flamengo. Após um início de ano sem muitas oportunidades, o camisa 11 foi acionado nas últimas três partidas e correspondeu em todas, o que o tornou uma espécie de 12º jogador da equipe. Esse posto, aliás, não é exatamente uma novidade, já que o jogador se habituou a este cenário com Jorge Jesus. O atacante, no entanto, quer mais.

A pecha de "primeiro reserva" não é algo que o incomode, mas também não é um rótulo que lhe agrade, ele admite. Depois de ser decisivo nos jogos contra o Independiente del Valle (EQU), rival na decisão da Recopa, e contra o Boavista, adversário na final da Taça Guanabara, o jogador pede passagem e diz estar pronto para desafios maiores.

"Não me incomoda [rótulo de 12º jogador], mas também não gosto. Pela situação que eu tenho transformado é bom, pois tenho oportunidade de ser o cara que entra logo que precisa. Mas meu desafio é lutar comigo mesmo para eu ter mais oportunidades. Vou trabalhar durante o ano para estar mais vezes em campo. Atingindo os objetivos do jogo e da equipe, você consegue se destacar. Me mantive focado no que deveria fazer nos treinos mesmo fora dos primeiros jogos. Tinha convicção de que jogaria bem isso me deixou tranquilo", disse ele, em entrevista ao UOL Esporte.

Campeão cinco vezes pelo clube do coração, Vitinho entrou de férias e acompanhou o noticiário rubro-negro. Com apetite no mercado da bola, o Rubro-Negro trouxe Michael, Pedro Rocha e Pedro, todos alternativas para o ataque. O atleta garante ter encarado o fato com naturalidade, mas disse estar ciente de que o grau de dificuldade por um lugar ao sol aumentou ainda mais.

"A gente pensa no que é importante para o Flamengo. Trazer bons jogadores é importante para enfrentar qualquer tipo de situação. Aumenta a concorrência, claro, mas sempre me mantive convicto com as minhas características e meu potencial. A gente sempre defende o nosso. Tinha na minha cabeça que fazendo as coisas certas eu teria oportunidades".

Vitinho festeja título da Supercopa do Brasil - Alexandre Vidal/Flamengo
Vitinho festeja título da Supercopa do Brasil
Imagem: Alexandre Vidal/Flamengo

Entre as contratações mais caras da história do Flamengo (em 2018, o valor girava na casa de R$ 54 milhões), o atacante é sincero ao comentar sobre sua adaptação ao novo clube. Ao desembarcar na Gávea, chegou com fama de salvador da pátria e não conseguiu cumprir as expectativas. Passado um tempo, ele analisou com frieza e disse que ele foi seu próprio inimigo nos primeiros tempos no Fla. Em um time que oscilava, Vitinho teve de conviver com as vaias na arquibancada e até uma certa hostilidade nas ruas, segundo ele. A partir de 2019, viu um grupo com novas peças e a responsabilidade ficou mais dividida e as coisas caminharam de forma mais tranquila.

"De certo modo, minha dificuldade foi comigo mesmo, queria fazer tudo de maneira muito rápida. Os resultados não vieram. Se tivessem vindo, teria menos pressão, as coisas fluiriam melhor para mim. Com a minha vontade de corresponder a expectativa, não consegui e isso me atrapalhou. Depois da temporada eu pude analisar um pouco mais. Me deixei levar e não tive o controle que precisava para colocar as coisas em ordem. Foi um pouco difícil. Vivi coisas no estádio e fora que não são agradáveis, mas isso serve para dar casca. Aprendi muito", analisou ele.

Apesar de ainda estar na briga por uma vaga no time principal, Vitinho conta com a admiração do Mister, que destaca a técnica do jogador e o fato de ele ser ambidestro. Hoje, a equipe encara a Cabofriense, às 18h, no Maracanã, em jogo válido pela primeira rodada da Taça Rio. Com vários nomes sequer relacionados, a tendência é que ele comece jogando. Boa oportunidade para impressionar o Mister e acirrar a briga.

CABOFRIENSE X FLAMENGO

FICHA TÉCNICA
Data: 29 de fevereiro de 2020
Horário: 18h (de Brasília)
Competição: Carioca
Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Alexandre Vargas Tavares de Jesus
Assistentes: Silbert Faria Sisquim e Andréa Izaura Maffra Marcelino de Sá

CABOFRIENSE: George Cardoso, Cardoso, Lucas Cunha, Igor e Guilherme; Magno, Watson, Léo Aquino e Gama; Rafael Pernão e Rincon
Técnico: Luciano Quadros

FLAMENGO: César; João Lucas, Thuler, Dantas (Rafael Santos) e Renê; Willian Arão, Thiago Maia, Diego e Vitinho; Pedro e Michael.
Técnico: Jorge Jesus

Flamengo