PUBLICIDADE
Topo

Atlético-MG

Réver critica postura "fria" do Atlético: "camisa não vence mais jogo"

Capitão do Atlético-MG criticou postura do time, que passou sufoco e quase foi eliminado para o Campinense - Bruno Cantini/Divulgação/Atlético-MG
Capitão do Atlético-MG criticou postura do time, que passou sufoco e quase foi eliminado para o Campinense Imagem: Bruno Cantini/Divulgação/Atlético-MG

Do UOL, em Belo Horizonte

13/02/2020 00h11

Classificação e Jogos

O Atlético-MG empatou em 0 a 0 com o Campinense e se classificou para a segunda fase da Copa do Brasil. Apesar do resultado positivo, a atuação do time não foi nada boa. Mais uma vez, a equipe mostrou um futebol muito pobre, com bastante dificuldade para defender, mas principalmente para organizar suas jogadas ofensivas. Na saída de campo, o capitão Réver foi sincero e pediu mais comprometimento.

"O Campinense foi um time muito aguerrido, jogou pela vida. Do outro lado, uma equipe um pouco fria. A gente precisa colocar em prática o que treinamos durante a semana. A nossa agressividade tem que ser mais forte, porque só nome e camisa não vence mais jogo. A gente teve a prova disso há uma semana e fica mais uma lição", disse o zagueiro, lembrando os 3 a 0 sofridos para o Unión, da Argentina, na estreia da Sul-Americana.

Réver foi o protagonista daquele que deve ter sido o melhor e talvez único lance que mais se aproximou de um gol do Atlético. O zagueiro teve uma cabeçada evitada pelo jogador adversário quase em cima da linha. Fora isso, o Galo mal chutou a gol, se limitando a jogar a bola na área em lances de bola parada. Mais uma vez, ficou nítido a urgência em ter alguém para armar as jogadas.

"A gente precisa nos doar mais, nos entregar mais. Hoje, com toda a dificuldade que o Campinense nos impôs, a gente conseguiu suportar a pressão, mas uma equipe como o Atlético não ter chance de gol contra o Campinense é um pouco preocupante, que sirva de exemplo, que possamos nos doar mais, nos entregar mais", finalizou o capitão do Galo.

Atlético-MG