PUBLICIDADE
Topo

Norueguês foi de "Novo Messi" ao sumiço até derrubar Real em ressurreição

Martin Odegaard domina pela Real Sociedad em vitória sobre Real Madrid de Marcelo e Kroos - JAVIER SORIANO / AFP
Martin Odegaard domina pela Real Sociedad em vitória sobre Real Madrid de Marcelo e Kroos Imagem: JAVIER SORIANO / AFP

Do UOL, em São Paulo

07/02/2020 04h00

Classificação e Jogos

Martin Odegaard tem apenas 21 anos, mas, para muitos torcedores do Real Madrid, era como se o meia já não tivesse futuro. Nesta quinta (6), ele foi uma das figuras mais relevantes para ajudar a Real Sociedad a derrubar o gigante madrilenho pelas quartas de final da Copa do Rei. Numa partida eletrizante, vencida por 4 a 3 pelo time basco, ele abriu a contagem.

Ainda que Alexander Izak, de 20 anos e outra joia do futebol espanhol, tenha sido o grande nome da partida, Odegaard deixou claro ao Santiago Bernabéu por que sua contratação pelos merengues em 2015 fora tão celebrada. Ele tinha 17 anos à época, ele foi anunciado, com a fanfarra típica da imprensa da capital espanhola: "O novo Messi chegou", escreveu o diário esportivo Marca.

O clube superou a concorrência de outros gigantes europeus como Liverpool, Bayern de Munique e Arsenal pela revelação do Strømsgodset. Acontece que, passado este efêmero momento de glória, o garoto voltou caiu no anonimato relativamente cedo.

O projeto madridista foi até paciente. Odegaard passou dois anos no Castilla, o time B do Real. Foi treinado, inclusive, por Zinedine Zidane. Foram poucas as chances na equipe principal. Em 23 de maio de 2015, ele substituiu Cristiano Ronaldo contra o Getafe, se tornando o mais jovem a jogar pelo Campeonato Espanhol.

Mas não é fácil se integrar em um grupo de "galácticos" e, embora Odegaard treinasse com jogadores mais velhos desde os 13 anos, "lhe falta claramente o físico", nas palavras de Zidane. Lidar com as pressões do cotidiano do Real é um desafio enorme. Vinícius Júnior e Rodrygo podem falar bem a respeito, aliás.

O Real optou, então, por mandar sua promessa para amadurecer em um campeonato de nível técnico e físico mais acessível, mas famoso por seu estilo de jogo ofensivo. Em 2017, Odegaard chegou ao Campeonato Holandês para defender o SC Heeerenveen, clube com o qual disputou 42 jogos, marcando apenas três gols. Em 2018-2019, foi a vez de o Vitesse Arnhem acolher o norueguês. Lá, deu sinais de evolução.

Embora tenha inicialmente visto o novo empréstimo como uma humilhação —"Realmente achei que tinha um lugar no Real Madrid", disse-, Odegaard superou esta frustração para se tornar um dos melhores jogadores da Holanda. Foi o motor do meio-campo do Vitesse e chegou a ser especulado como alvo do Ajax.

"Meu objetivo sempre foi vestir as cores do Real Madrid. Farei de tudo para isso", afirmou o jogador à imprensa local, antes de esclarecer que não veria com maus olhos uma passagem pelo Ajax. Optando pela potência local, Odegaard sem dúvida teria um grande palco para mostrar seu talento, em um clube famoso por desenvolver com sabedoria o potencial de seus jovens atletas. Mas não aconteceu.

No fim, o ainda jovem jogador retornou à Espanha, para jogar por um clube "Real". Só que em outro empréstimo, dessa vez para o clube de San Sebastían. Ele ao menos é titular absoluto do time. E mostrou ao Bernabéu que, mesmo que as elevadas expectativas de cinco anos atrás possam ser inatingíveis, ainda pode ser uma figura relevante no futebol espanhol. Resta saber se Zinedine Zidane e o Real Madrid ainda pretendem aproveitá-lo.

Futebol