PUBLICIDADE
Topo

Presidente do Cruzeiro diz que analisa oferta árabe para investir no clube

Atual presidente do Conselho Deliberativo, José Dalai Rocha irá estudar ofertas de investidores no Cruzeiro - Bruno Haddad/Cruzeiro
Atual presidente do Conselho Deliberativo, José Dalai Rocha irá estudar ofertas de investidores no Cruzeiro Imagem: Bruno Haddad/Cruzeiro

Do UOL, em Belo Horizonte

07/02/2020 11h00

O presidente do Conselho Deliberativo do Cruzeiro, José Dalai Rocha, confirmou que recebeu um pedido para analisar um interesse árabe em investir nas operações do futebol do clube. Dalai ainda disse que o clube tem outras três propostas de financiamento da agremiação.

"Eu recebi um pedido de encontro do conselheiro que representa esse grupo. Não é o primeiro grupo que quer financiar o Cruzeiro. O Cruzeiro é um potencial. Apesar da posição momentânea de baixa, o Cruzeiro é uma mercadoria de altíssimo valor. Temos nem uma, nem duas, nem três, temos quatro propostas de financiamento. A do Xeque é uma delas", disse Dalai, após a reunião ordinária do Conselho Deliberativo, na noite da última quinta-feira (6).

O conselheiro citado por Dalai é Vitório Galinari. Recentemente, o aliado do ex-presidente Wagner Pires de Sá comentou sobre a possibilidade de trazer investidores para ajudar o Cruzeiro. Sem dar detalhes, Dalai ainda disse que há outros três interessados em conversar com o clube.

"As outras três (ofertas) foram trazidas também por conselheiros. Nesta sexta-feira (7) eu iria a Brasília para negociar com um dos grupos, mas a reunião sobre o Profut foi cancelada e não poderemos mais ir. Mas estávamos com passagem marcada para encontrar com um grupo financiador", acrescentou.

"Esse grupo não estaria interessado em comprar o departamento de futebol. A proposta não é comprar, é financiar. Uma revisão tributária, uma valorização dos recebíveis em troca de financiamento. São propostas variadas e de complexidade. Não podemos explicar em cinco minutos a complexidade dessas propostas. A maior importância são elas existirem. Não se compra cachorro morto", encerrou.

Cruzeiro