PUBLICIDADE
Topo

Futebol


Elenco do Bragantino absorve ambição da Red Bull e mira título do Paulistão

Red Bull levou títulos do Interior e da Série B em 2019, agora mira o Campeonato Paulista - Divulgação/Bragantino
Red Bull levou títulos do Interior e da Série B em 2019, agora mira o Campeonato Paulista Imagem: Divulgação/Bragantino

Arthur Sandes

Do UOL, em São Paulo

23/01/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Discurso ambicioso da Red Bull tomou o elenco do Bragantino, que mira título
  • Jogadores falam abertamente sobre sonho pelo título e as chances da equipe
  • "Projeto daqui é audacioso, e não podemos pensar diferente", diz capitão Julio Cesar
  • Empresa empilha títulos na Áustria, vai bem na Alemanha, agora quer o Brasil
  • No Paulistão, time divide o grupo D com Corinthians, Ferroviária e Guarani

"Se temos todas as condições de um clube grande, por que não entregar os resultados que os clubes grandes entregam?", reflete Julio Cesar, goleiro e capitão do Red Bull Bragantino. A pergunta retórica deixa clara a ambição da equipe no Campeonato Paulista, no qual estreia às 19h15 (de Brasília) de hoje, contra o Santos, na Vila Belmiro.

Presente em um dia da pré-temporada do Bragantino, o UOL Esporte ouviu três jogadores sobre as aspirações da equipe em seu segundo torneio sob gestão da Red Bull — o primeiro, a Série B de 2019, terminou em acesso e título. "O Bragantino entra em todo campeonato para ganhar, então, estamos nos preparando para isso. Vamos lutar sempre, porque esta é a filosofia que se planta aqui dentro", diz o recém-chegado Alerrandro.

O discurso coletivo mostra fome de título, talvez instigada justamente pela campanha dominante da última Série B. Há certa cautela pela força da concorrência, mas a ambição é clara: dar muito trabalho e, por que não?, pensar em títulos. "Aqui, nós jogadores aprendemos a sonhar alto", afirma o atacante Claudinho, xodó da torcida.

O capitão Julio Cesar pondera ser "difícil dizer até onde dá para chegar", elogia os adversários e diz que o elenco trabalha por metas, pensando primeiro na classificação na fase de grupos. Sonhar com o título fica para depois, mas... "O projeto daqui é audacioso, e a gente não pode pensar diferente", diz o goleiro. "É um clube com muita margem de crescimento, e isso é muito claro para nós: vamos entregar resultado, para poder desfrutar de tudo o que a empresa nos dá. Não é pecado nenhum trabalhar sempre querendo ser campeão."

O sucesso esportivo da Red Bull no futebol europeu é tão grande que dá para considerar parte do plano de negócios. O time de Nova Iorque é mais discreto, mas o Salzburg ganhou 16 títulos na Áustria em 15 anos, e o alemão Leipzig agora joga Liga dos Campeões da Europa, após quatro acessos em sete anos. Na elite do futebol brasileiro a partir de 2020, a empresa importa as mesmas pretensões. O plano do CEO Thiago Scuro é "brigar na ponta de cima da tabela de três a cinco anos".

"É bom demais estar em um clube assim, porque você aprende a sonhar grande, pensar alto. Nosso primeiro pensamento, claro, é ser campeão. Todo o mundo tem que pensar em ser campeão", cobra Claudinho, usando a Série B mesmo como exemplo. "E não queremos só sonhar, mas realizar também; como no ano passado, em que pensamos no título e depois conseguimos. Neste ano não é diferente."

Turbinado pela Red Bull, o Bragantino sonha com o segundo título estadual de sua história. O primeiro foi em 1990, e desde então, em trinta anos, só Ituano e São Caetano foram capazes de superar os grandes.

Bastante ativo no mercado da bola e atraindo olhares diferentes na chegada à elite, o clube vive seu primeiro desafio em meio aos grandes clubes, no Estadual considerado mais difícil do Brasil. Sorteado no grupo D com Corinthians, Ferroviária e Guarani, o Red Bull Bragantino agora tem a missão de equilibrar ambição e euforia.

Futebol