PUBLICIDADE
Topo

Futebol


Julio Cesar promete "esquecer" amor em possível RB Bragantino x Corinthians

Multicampeão no Corinthians, goleiro pode rever ex-clube pela 1ª vez em mata-mata - Divulgação/RB Bragantino
Multicampeão no Corinthians, goleiro pode rever ex-clube pela 1ª vez em mata-mata Imagem: Divulgação/RB Bragantino

Arthur Sandes

Do UOL, em São Paulo

21/01/2020 04h00

É verdade que o Campeonato Paulista está só começando e que o futebol é avesso às previsões, mas há boas chances de Corinthians e Red Bull Bragantino terem confronto eliminatório na segunda fase. Os dois estão no mesmo grupo, e o regulamento prevê o confronto eliminatório entre os primeiros colocados da chave. E aí, como ficaria para Julio Cesar? Em entrevista ao UOL Esporte, o goleiro não esconde sua paixão pelo Alvinegro, mas deixa claro que as obrigações e ambições profissionais estão muito acima da emoção.

"É muito cedo, tem muito campeonato pela frente. Mas se isso acontecer mesmo será especial como sempre", disse Julio Cesar, que reencontrou o Corinthians duas vezes desde que deixou o clube do coração em 2014, mas nunca em mata-mata. "O pré-jogo tem aquela pressão e ansiedade, mas no jogo é normal; cada um defende o seu e quer vencer de qualquer jeito", avisa o capitão do Red Bull Bragantino.

O goleiro prova seu profissionalismo pela invencibilidade que tem em jogos contra o Corinthians. Ele não enfrentou o ex-clube enquanto defendia Náutico e Santa Cruz, mas esteve em dois duelos pelo Red Bull Brasil: empatou o primeiro por 1 a 1 em 2018 e venceu o mais recente por 2 a 0 em plena Arena Corinthians, há um ano.

Goleiro é o maior campeão da história do Corinthians com 11 títulos, sendo duas Copinhas - Junior Lago/UOL
Goleiro é o maior campeão da história do Corinthians com 11 títulos, sendo duas Copinhas
Imagem: Junior Lago/UOL
"Da última vez eu disse: durante os 90 minutos nós somos adversários, depois eu volto a ser corintiano. Tenho minha família por trás, meus sonhos, meus objetivos e quero vencer sempre, mas o clube de que eu gosto, que eu amo, é o Corinthians", declara.

Julio Cesar praticamente cresceu no Parque São Jorge, tendo feito toda a categoria de base no Corinthians. Foi campeão onze vezes, da Copinha ao Mundial de Clubes, mas sendo titular apenas no Brasileirão de 2011. No ano seguinte perdeu vaga para Cássio, e após três temporadas deixou o clube.

"Foi onde eu mais amadureci", avalia o capitão do Red Bull Bragantino. "Tanto os momentos bons quanto os ruins me ajudaram a amadurecer, porque, se não tiver momentos ruins, também não tem experiência. Você é apedrejado quando erra, e no Corinthians isso é até demais; te deixa mais calejado para outros lugares", explica o goleiro de 35 anos.

O Bragantino de Julio Cesar seria a pedra no sapato de qualquer grupo do Estadual, por ser o quinto representante paulista no Brasileirão deste ano e ter destaque no mercado da bola. Calhou de o time ser sorteado na chave D do Corinthians, que ainda tem Ferroviária e Guarani. O regulamento, no entanto, não prevê jogos entre eles na fase de grupos: o Timão estreia contra o Botafogo-SP às 21h30 (de Brasília) de amanhã, enquanto o time da Red Bull visita o Santos às 19h15 de quinta-feira (23).

Divulgação/RB Bragantino
Imagem: Divulgação/RB Bragantino

Confira outras respostas de Julio Cesar:

Da base à titularidade no Corinthians
"Subi para o profissional muito cedo, já com 19 anos. Fui estrear com 20, que para goleiro é muito novo. Estreei bem, e depois fiquei três anos sem fazer nenhuma partida. Essa transição é muito difícil, porque a exigência no Corinthians é muito grande. Então nestes três anos eu cheguei a querer sair, ser emprestado, porque você ouve muitas pessoas... Mas fiquei para esperar meu momento, depois virei titular quando o Felipe saiu. Era também um momento de incerteza, tinham contratado o [paraguaio] Bobadilla, mas eu me firmei para ser campeão brasileiro.

Falhas culminaram em saída
"Foi no Paulistão [de 2012]. Eu tive dois erros em um jogo contra a Ponte Preta, faltou experiência e maturidade, e aí saí do time. É o momento mais difícil, uma semana, um mês em que você só ouve seu nome na imprensa, está todo o mundo falando. Então você tenta se fechar, busca saídas, tenta se reerguer, e isso faz com que você seja mais maduro. O Corinthians traz muito isso: de menino você vira homem muito cedo, tem responsabilidades muito cedo. Isso me ajudou hoje, tendo um pouco mais de calma."

Família corintiana que idolatra Cássio
"Lá em casa somos corintianos mesmo. No ano passado nós fomos na final do Paulista, levei meus filhos. Eu faço que sejam [corintianos], porque hoje em dia tem a moda dos times que estão bem, e as crianças pegam. Mas lá em casa a gente força, para eles assistirem o jogo. Eles curtem por eles mesmos. Já levei eles no CT, porque eles são loucos pelo Romero e pelo Cássio, os três são muito fãs. Eles gostam do clube, e eu fico feliz por isso também."

Cássio é o último remanescente do Corinthians de 2012
"Cássio é um cara especial, um amigo. É um cara muito bacana, do bem, que tem uma história brilhante dentro do Corinthians. Ele estar lá até hoje é por mérito dele. Na minha opinião é o maior goleiro da história do clube e tem tudo para se transformar no maior ídolo. Ele merece tudo o que está passando. Torço muito por ele, e tenho certeza que ainda terão muitos títulos que ele possa comemorar."

Futebol