PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Na torcida: as camisas de times brasileiros que Bolsonaro vestiu no ano

Bolsonaro, ao lado do deputado federal Hélio Lopes (PSL-RJ) e do ministro da Justiça, Sérgio Moro, no estádio Mané Garrincha durante a partida entre CSA e Flamengo - Edu Andrade/FatoPress/Estadão Conteúdo
Bolsonaro, ao lado do deputado federal Hélio Lopes (PSL-RJ) e do ministro da Justiça, Sérgio Moro, no estádio Mané Garrincha durante a partida entre CSA e Flamengo Imagem: Edu Andrade/FatoPress/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

31/12/2019 04h00

O presidente Jair Bolsonaro, palmeirense declarado, não se limitou a vestir apenas as cores do time alviverde durante seu primeiro ano de mandato. Seja em seu gabinete, recebendo presentes, em viagens diplomáticas ou visitas a estádios pelo país, Bolsonaro posou para fotos com uniformes de clubes de diversos Estados, se permitindo até mesmo usar as camisas de arquirrivais como Grêmio e Internacional.

A ida do presidente a estádios de futebol, aliás, foi uma constante na temporada, e em algumas situações sua presença causou tensão nas arquibancadas. Na final da Copa América, conquistada pelo Brasil, em julho, no Maracanã, a reação do público se dividiu entre vaias e aplausos. No final, ele entrou no gramado para participar da cerimônia de premiação aos comandados de Tite, tendo erguido, inclusive, a taça.

Em jogos do Brasileirão, sua visita à Vila Belmiro, em novembro, para o clássico entre Santos e São Paulo também gerou repercussão mais moderada —embora uma torcida organizada santista reclamasse que a visita faria da Vila o seu palanque político. Por outro lado, torcedores que ofenderam o presidente em jogos do Palmeiras contra o Botafogo e Corinthians chegaram a ser expulsos do estádio.

No que depender de sua divulgação em redes sociais, de qualquer forma, Bolsonaro vestiu vários uniformes em busca de unidade. Relembre alguns deles:

Camisa 'pirata' do Palmeiras

Durante reunião no Planalto, em fevereiro, Bolsonaro usou uma camisa falsa do Palmeiras para discutir a Reforma da Previdência. À época, ela ainda estava sob observação médica depois de ter passado por cirurgia para retirada de uma bolsa de colostomia —consequência de um atentado que sofreu durante a campanha presidencial em Juiz de Fora (MG).

Manto rubro-negro

Bolsonaro rubro-negro - Alex Farias/PhotoPress/Folhapress - Alex Farias/PhotoPress/Folhapress
Imagem: Alex Farias/PhotoPress/Folhapress

Antes mesmo de Flamengo ativar seu modo arrasador no segundo semestre, para conquistar tanto o Brasileirão como a Libertadores, o presidente já fazia gestos à torcida rubro-negra. Em junho, em partida contra o CSA, no Mané Garrincha, em Brasília, Bolsonaro recebeu e vestiu a camisa do Fla, na companhia do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro —que também vestiu a sua; do vice-presidente da República, general Hamilton Mourão; do ministro da Economia, Paulo Guedes; e do deputado federal Hélio Lopes (PSL-RJ).

Em viagem diplomática à China, em outubro, já com o Flamengo bombando em campo, Bolsonaro não vestiu o uniforme rubro-negro diante das câmeras, mas deu um agasalho do clube carioca ao presidente do país e secretário-geral do Partido Comunista chinês.

Versão alvinegra

Ainda em junho, Bolsonaro foi fotografado pelo próprio filho, o deputado federal Eduardo, vestindo um agasalho do Corinthians, arquirrival do Palmeiras, durante agenda. O próprio Eduardo questionou: "Pode isso?", rindo.

Gre-Nal

Em março, o presidente do Internacional, Marcelo Medeiros, que cumpria agenda institucional na capital do país, presenteou Bolsonaro com uma camisa branca do time.

Bolsonaro com camisa do Inter - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

Cinco meses depois...

Bolsonaro veste Grêmio - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

Bolsonaro vestiu a camisa principal do Grêmio, recebida das mãos do comandante do Exército, Edson Pujol, a pedido do presidente gremista Romildo Bolzan Jr.

Visita à Vila

Bolsonaro passou o feriado de 15 de novembro no Guarujá, no litoral paulista, e decidiu aproveitar a viagem para esticar até Santos para ver o clássico San-São na Vila Belmiro. Ele chegou ao estádio sem falar com jornalistas, vestiu a camisa do time da casa em um camarote, ouviu gritos de "mito" e algumas poucas vaias e saiu antes do final da partida.

Bolsonaro na Vila Belmiro - Bruno Ulivieri/AGIF - Bruno Ulivieri/AGIF
Imagem: Bruno Ulivieri/AGIF

Coelho no Alvorada

Em setembro, Bolsonaro descansava no Palácio do Alvorada até que decidiu sair à porta da residência presidencial em Brasília para saudar um grupo de apoiadores. Ele estava usando uma camisa branca do América-MG.

Futebol