PUBLICIDADE
Topo

Cruzeiro

Thiago Neves e Fabrício Bruno acionam Cruzeiro na Justiça do Trabalho

Cruzeiro estaria há sete meses sem pagar direito de imagem a Thiago Neves, que ainda cobra salário e FGTS - REUTERS/Ueslei Marcelino
Cruzeiro estaria há sete meses sem pagar direito de imagem a Thiago Neves, que ainda cobra salário e FGTS Imagem: REUTERS/Ueslei Marcelino

Enrico Bruno e Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

20/12/2019 13h26

Resumo da notícia

  • Thiago Neves e Fabrício Bruno acionaram Cruzeiro por causa da falta de pagamentos do clube
  • Dupla quer rescisão do contrato com o clube mineiro
  • Atrasos do Cruzeiro seriam de direito de imagem (sete meses), salários (dois meses) e FGTS
  • Thiago Neves tem contrato até o fim de 2020, enquanto Fabrício Bruno está vinculado até dezembro de 2021

O Cruzeiro ganhou dois novos problemas. O meia Thiago Neves e o zagueiro Fabrício Bruno entraram na justiça contra o clube mineiro. Os atletas cobram dívidas referentes aos salários e direitos de imagem que não foram pagos pelo clube. Ambos pedem a rescisão do contrato.

No caso de Thiago Neves, o meia cobra cerca de R$16 milhões do Cruzeiro. Sobre Fabrício Bruno, a dívida gira em torno de R$4 milhões. A dupla alega que a Raposa não efetivou o pagamento dos direitos de imagem nos últimos sete meses. Além disso, o Cruzeiro também está com dois meses de salários atrasados com jogadores e funcionários, algo já reconhecido pela agremiação. Por fim, o clube também é cobrado por não depositar o FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) dos jogadores.

"Cruzeiro não cumpre o contrato com o jogador. A gente não tem perspectiva de mudança agora. O último pagamento de direito de imagem foi em maio. Desde maio também que o pagamento de salário não acontece de forma regular. Eles vêm picados, às vezes, pagam 40% do salário, 60% de outro. O único que não foi pago ainda é o de novembro. O último FGTS recolhido foi em abril", disse João Henrique Chiminazzo, advogado de Fabrício Bruno, que ainda lembrou de um recente interesse do Celtic, da Escócia, pelo jogador.

"O grande problema disso tudo é que houve proposta, como noticiado pela imprensa, e o Cruzeiro preferiu não liberar. A recusa do Cruzeiro à proposta do Celtic deixa a gente sem uma ideia do que será", completou, João Henrique, em contato com o UOL.

Thiago Neves terminou o ano afastado do Cruzeiro e apontado como um dos símbolos do rebaixamento do Cruzeiro. Recentes declarações de dirigentes sinalizaram uma abertura para a reintegração do meia em 2020, mas sua situação segue indefinida. Thiago tem contrato até o final do ano que vem. Já o vínculo de Fabrício Bruno vai até dezembro de 2021.

Cruzeiro