PUBLICIDADE
Topo

UOL Esporte vê TV


Violência no Mineirão: Palmeiras cancela entrevista coletiva após o jogo

Telão do Mineirão exibe mensagem pedindo para os torcedores evacuarem o estádio - Reprodução
Telão do Mineirão exibe mensagem pedindo para os torcedores evacuarem o estádio Imagem: Reprodução

Colaboração para o UOL, em São Paulo

08/12/2019 18h34Atualizada em 08/12/2019 18h49

As cenas de violência no Mineirão após a derrota do Cruzeiro para o Palmeiras por 2 a 0, que confirmou o rebaixamento da equipe mineira pela primeira vez na história à Série B do Campeonato Brasileiro, forçaram a retirada de parte da equipe do SporTV e de outros profissionais da imprensa do estádio.

Com isso, o time alviverde também anunciou o cancelamento da entrevista coletiva pós-jogo. Segundo a assessoria de imprensa do Palmeiras, "as poucas equipes que permaneceram dentro do estádio foram para a entrevista do Cruzeiro", razão pela qual não haverá atendimento.

O SporTV informou no ar que, por questões de segurança, não faria a cobertura do pós-jogo nas coletivas e nos vestiários, como acontece em todas as partidas. Apesar disso, o canal transmitiu a entrevista do dirigente cruzeirense Zezé Perrella. O apresentador Rodrigo Rodrigues, do Troca de Passes, anunciou a mudança no ar: "Conseguimos acesso. Tem uma equipe nossa na sala de coletiva".

O jogo que determinou a queda cruzeirense não chegou a ser encerrado no tempo regulamento. Após uma paralisação aos 35 minutos do segundo tempo, e outra aos 40, com cinco de espera, o árbitro Marcelo de Lima Henrique decidiu dar a partida como terminada. No Rio de Janeiro, o Ceará já havia empatado com o Botafogo, resultado que impedia a salvação da Raposa mesmo com uma virada.

Durante a transmissão, a TV Globo informou que o delegado da partida orientou a imprensa a deixar o gramado. O telão do Mineirão também orientou a evacuação do estádio. Jogadores do Palmeiras precisaram ser escoltados pela Polícia Militar. Nas arquibancadas, os policiais usaram bombas de efeito moral para conter os torcedores que praticavam atos de vandalismo.

UOL Esporte vê TV