Topo

Após perdas e testes, Marcos Paulo vira aposta por Fluminense mais efetivo

Marcos Paulo protagonizou lance que gerou gol contra de Patric, na partida contra o Atlético-MG - LUCAS MERÇON/ FLUMINENSE F.C.
Marcos Paulo protagonizou lance que gerou gol contra de Patric, na partida contra o Atlético-MG Imagem: LUCAS MERÇON/ FLUMINENSE F.C.

Do UOL, no Rio de Janeiro

18/11/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Fluminense chega à reta final do Brasileiro brigando contra o rebaixamento
  • Depois de bom início, ataque caiu de produção e mostra pouca efetividade
  • No decorrer do ano, clube perdeu Everaldo, Luciano e Pedro, nomes importantes do setor
  • Fernando Diniz, Oswaldo de Oliveira e Marcão, técnicos do Flu em 2019, conviveram com o problema

Posse de bola, criação e pouca efetividade no ataque. Esse tripé, talvez, tenha sido a tônica do Fluminense ao longo da temporada e voltou a ser citado pelo técnico Marcão após o empate com o Atlético-MG. Diante de tantas mudanças no setor ofensivo no decorrer de 2019, Marcos Paulo tem sido a aposta nesta reta final de Campeonato Brasileiro em busca dos resultados que possam fazer o time tricolor fugir do rebaixamento.

Titular nos últimos seis jogos, o jovem, cria das categorias de base do Fluminense, fez dois gols neste período, contra Chapecoense e São Paulo, e foi protagonista no lance que gerou o gol contra de Patric, no último sábado, no Maracanã.

O jovem ganhou a posição e alimentou a esperança de ser o homem-gol em um setor que começou o ano sob elogios, mas que foi se desfazendo com o passar da temporada e virou alvo de olhares desconfiados.

Com Everaldo, Yony González e Luciano, o Fluminense, ainda sob o comando de Fernando Diniz, teve o segundo melhor ataque do Campeonato Carioca, com 26 gols marcados, atrás apenas do Flamengo, com 33.

Ainda em maio, Everaldo deu adeus às Laranjeiras e foi para o Corinthians. Depois de uma novela e de uma tratativa encaminhada com o Atlético-MG, Luciano, então artilheiro tricolor na temporada, foi contratado pelo Grêmio. Pedro, destaque no ano passado e que buscava retomar a boa fase, foi para a Fiorentina, da Itália. Por fim, João Pedro, que surgiu como joia e já negociado com o Watford, da Inglaterra, vive jejum e não balança a rede desde o duelo com o Fortaleza, em 7 de setembro. Ele, inclusive, nem sequer viajou com o elenco para as partidas contra São Paulo e Internacional.

Neste cenário e depois de muitos testes, Marcão promoveu Marcos Paulo ao time titular na partida contra a Chapecoense e, desde então, o jovem não perdeu mais a vaga. À época, a justificativa do técnico tricolor era que o jogador poderia oferecer mais velocidade ao time, algo que considerava importante para aquele duelo.

"Marcos é um jovem talentoso, está treinando muito bem e busca seu espaço. Verdade que não teve oportunidade com a gente até agora. Se ele tiver essa oportunidade, vai tentar nos ajudar no que for possível. Ele está sendo bem avaliado pela comissão técnica", afirmou em coletiva às vésperas do confronto no Maracanã.

Artilheiro, último remanescente e futura 'dor de cabeça'

Do trio de ataque que começou o ano, apenas Yony González permanece no Fluminense. Com 16 gols, ele é o atual artilheiro do time em 2019, ultrapassando Luciano, que tem 15 com a camisa tricolor.

O colombiano, porém, promete ser uma futura "dor de cabeça" à diretoria. Com o contrato até o fim do ano e se destacando, a permanência é considerada difícil. Em setembro, o UOL Esporte mostrou que o jogador tinha proposta do futebol europeu e a tendência era que não renovasse com o Flu. Na última semana, os jornais "Record" e "A Bola", ambos de Portugal, apontou que Yony tem um acordo para defender o Benfica por quatro temporadas e meia.

Fluminense