PUBLICIDADE
Topo

Brasileiros fizeram caminho inverso de Jesus e brilharam em Portugal

Luiz Felipe Scolari no comando da seleção de Portugal - AFP PHOTO/ PAULO CORDEIRO
Luiz Felipe Scolari no comando da seleção de Portugal
Imagem: AFP PHOTO/ PAULO CORDEIRO

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo

02/11/2019 12h00

Jorge Jesus vem descobrindo o Brasil. O treinador português, com pouco mais de quatro meses de trabalho, elevou o patamar do Flamengo e despertou discussões sensíveis sobre como se joga futebol no país pentacampeão do mundo. O sucesso repentino, com liderança do Campeonato Brasileiro e vaga na final da Copa Libertadores, é raro para um profissional lusitano. Entretanto, a via inversa também já rendeu resultados expressivos na Europa.

Não são raros os casos de treinadores brasileiros que elevaram o patamar do futebol português. Dentro da seleção recentemente campeã da Liga das Nações da Uefa e atual detentora do troféu da Euro, Otto Glória e Luiz Felipe Scolari alcançaram resultados históricos com trabalhos marcantes no time nacional, e em épocas totalmente diferentes.

Pensando no futebol de clubes, uma curiosidade: Abel Braga, hoje no Cruzeiro, mas justamente aquele que foi demitido para a chegada de Jesus ao Flamengo, foi um dos brasileiros com destaque em terras lusitanas, ainda que sem a badalação de seu sucessor rubro-negro. Abel conseguiu dois acessos e ganhou notoriedade no país europeu. Em 1990, levou o Famalicão para a primeira divisão. Dois anos depois, pegou o tradicional Belenenses e também promoveu ao mais alto escalão do futebol português.

As melhores campanhas na Copa

Otto Glória fez história por Benfica, Sporting e Belenenses. Pelos dois primeiros clubes, conquistou seis títulos do Campeonato Português. Tais trabalhos credenciaram o carioca a dirigir a seleção do país na Copa do Mundo de 1966, justamente na primeira grande campanha lusitana pelo torneio.

Na primeira fase, Portugal de Otto Glória eliminou o Brasil de Pelé. A equipe que contava com o talento de Eusébio avançou até a semifinal, parando apenas na anfitriã e campeã Inglaterra. O técnico brasileiro ainda levantou a equipe na disputa pelo terceiro lugar e conquistou o bronze no Mundial.

Quatro décadas depois foi a vez de Scolari recolocar Portugal entre os grandes. A equipe lusitana de Felipão parou na semifinal ao ser eliminada pela França de Zinedine Zidane. A campanha de quarto colocado do Mundial de 2006 só reforçou a relevância de seu trabalho, credenciado com o vice-campeonato da Euro em 2004.

Muito mais do que Felipão e Glória

Abel Braga - Bruno Haddad/Cruzeiro - Bruno Haddad/Cruzeiro
Hoje no Cruzeiro, Abel Braga assumiu papel de "Rei do Acesso" no futebol português
Imagem: Bruno Haddad/Cruzeiro

Outros nomes conhecidos do futebol brasileiro também alcançaram resultados expressivos em Portugal. Treinador falecido em 2017, Carlos Alberto Silva está entre eles. O mineiro conquistou dois títulos portugueses no início da década de 1990. O ex-comandante de São Paulo e Guarani chegou ao topo com o Futebol Clube do Porto em 1992 e 1993.

Paulo Autuori, atualmente dirigente do Santos, foi além de Abel. Então técnico, conseguiu um quinto lugar e a proeza levar o modesto Marítimo às competições europeias na temporada de 1994. O trabalho o credenciou para voltar ao Brasil, e, um ano depois, se consagrar campeão brasileiro no comando do Botafogo.

Esporte