Topo

Reunião definirá futuro de Marcão no Flu, que sonha com volta de Cuca

Cuca é o preferido da diretoria do Fluminense; Marcão balança no cargo - Marcello Zambrana/AGIF
Cuca é o preferido da diretoria do Fluminense; Marcão balança no cargo Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

Caio Blois

Do UOL, no Rio de Janeiro

31/10/2019 17h12

A derrota para o Ceará foi traumática para o Fluminense. O Tricolor se complicou no Campeonato Brasileiro e pode até voltar à zona de rebaixamento até o fechamento da 29ª rodada. Com a situação ruim, a diretoria fará reunião ainda nesta quinta-feira (31) para decidir o futuro do técnico Marcão, que balança no cargo.

O presidente Mario Bittencourt, o vice-geral Celso Barros e o diretor Paulo Angioni se encontrarão na Barra da Tijuca para decidir o futuro do treinador, informação veiculada primeiro pelo "NETFLU" e confirmada pelo UOL Esporte.

A demissão não está descartada, mas é provável que Marcão volte ao cargo de auxiliar permanente e o Tricolor busque um novo técnico. Cuca é o preferido, e Enderson Moreira corre por fora.

Em breve contato com a reportagem, Cuca negou ter sido procurado tanto pelo Flu como pelo Atlético-MG, também em situação ruim no Brasileirão. O treinador, entretanto, mostrou discurso mais ameno, e não descartou assumir um trabalho no fim de 2019. O treinador já recusou convites do Tricolor em 2016, 2018 e 2019.

O Fluminense não vence há quatro jogos e estacionou nos 30 pontos, conquistados após sequência positiva de cinco partidas sem derrota, no começo do trabalho do então auxiliar permanente, efetivado depois de vitória sobre os reservas do Grêmio no Maracanã. A situação ruim do time na competição, além da dificuldade de reação, impõem pressão sobre Marcão, e a diretoria estuda nomes no mercado.

Delegação evita saguão do Galeão

No retorno para o Rio de Janeiro, o Flu decidiu evitar o saguão do Aeroporto do Galeão e desembarcou direto pela pista, onde um ônibus aguardava a delegação. Ninguém conversou com a imprensa presente no local.

O temor da diretoria era por protestos violentos. Não havia, entretanto, torcedores à espera do time, apenas alguns familiares e amigos dos atletas.

Fluminense