PUBLICIDADE
Topo

Marcão lamenta chances perdidas em derrota: "É difícil falar em injustiça"

Marcão lamentou resultado ruim do Flu no Castelão; para ele, time merecia mais - Lucas Merçon/Fluminense FC
Marcão lamentou resultado ruim do Flu no Castelão; para ele, time merecia mais Imagem: Lucas Merçon/Fluminense FC

Do UOL, no Rio de Janeiro

31/10/2019 00h47

Classificação e Jogos

A derrota para o Ceará foi um duro golpe no Fluminense. Em entrevista coletiva após o jogo, o técnico Marcão analisou que a equipe merecia resultado melhor na partida. O placar de 2 a 0 aumentou a pressão sobre o Tricolor, que pode terminar a rodada na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro.

"É até difícil falar de injustiça. Futebol não tem muito isso. A equipe criou oportunidades. Diminuímos o espaço do Ceará. Nossos zagueiros foram corajosos, jogaram no campo adversário e isso criou a opção de pegar o rebote. No final, acabamos com quase 70% de posse de bola. Nossa equipe trocou 600 e tantos passes, quase 700 passes. Foram 26 finalizações. Infelizmente, não foi convertido em gol. A gente tinha que tentar algo, pressionar o Ceará, porque o empate ou a vitória nos serviam", declarou.

O treinador exaltou a melhora da equipe após as substituições - João Pedro e Wellington Nem entraram no intervalo - mas lamentou as chances perdidas. O Flu chutou 26 vezes ao gol adversário, mas não balançou as redes mais uma vez.

"Sentimos necessidade de ter um pivô e abrir a defesa do Ceará. Estava bem compactado, neutralizando a nossa equipe por dentro. Senti a necessidade de ter dois homens abertos. Quando o time começou a balançar o jogo, conseguiu virar essa bola, encontramos espaços. Isso dificultou a marcação deles. Infelizmente, a superioridade não virou gol. A estratégia foi essa para furar o bloqueio deles", explicou.

Marcão também falou no desequilíbrio da equipe após sofrer o primeiro gol, algo que tem sido recorrente na sequência negativa do Fluminense no Campeonato Brasileiro.

"Até os 12 ou 13 minutos, antes de sair o gol do Ceará, a equipe estava se portando bem. O Ceará veio pressionando, algo que já era esperado, afinal, estava jogando com o apoio do torcedor. Estávamos equilibrados, conseguimos ter a posse de bola. Então, tomamos o gol e deu uma desequilibrada. Eles foram superiores no primeiro tempo. No segundo tempo, fizemos algumas alterações de posicionamento e tivemos finalizações. Jogamos em cima do Ceará. Infelizmente, não convertemos o gol as finalizações. Pelo segundo tempo, merecíamos um resultado melhor", opinou.

O resultado negativo - o quarto seguido no Brasileirão - mantém o Tricolor na 16ª posição da tabela, com 30 pontos. Caso o Cruzeiro, atual 18º colocado da competição, vença o Botafogo no Estádio Nilton Santos, nesta quinta-feira (31), às 21h30, o Fluminense voltará à zona do descenso. Conhecedor da pressão sob suas costas, Marcão preferiu elogiar o que houve de bom e juntar os cacos dos erros cometidos.

"Todos estão muito chateados pela derrota. Batalhamos o segundo tempo todo, jogamos no campo do adversário. É pressão, mas quem trabalha em um clube grande como o Fluminense tem que se fortalecer cada vez mais. Tentar acertar o que a gente errou. Vamos tentar melhorar e vencer para o torcedor e todos nós", destacou.

Fluminense