Topo

Vasco elabora projeto físico em jovens promovidos por Luxemburgo

Talles (e) e Kaio (d): irmãos têm programa físicos diferentes. Mais velho passa por resistência muscular localizada - Carlos Gregório Júnior / Vasco
Talles (e) e Kaio (d): irmãos têm programa físicos diferentes. Mais velho passa por resistência muscular localizada Imagem: Carlos Gregório Júnior / Vasco

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

12/09/2019 04h00

Sem recursos para fazer grandes contratações, o Vasco tem apostado em seus talentos das divisões de base. O técnico Vanderlei Luxemburgo promoveu recentemente uma leva de garotos do sub-20 e dois deles já estão sendo submetidos a um programa de desenvolvimento muscular estipulados pela fisiologia e preparação física do clube: Gabriel Pec e Kaio Magno.

Para o meia Gabriel Pec, de 18 anos, o planejamento é de ganho de massa muscular, já que o atleta ainda tem um biótipo franzino.

Meia Gabriel Pec, de 18 anos, atravessa programa de fortalecimento muscular - Rafael Ribeiro / Vasco
Meia Gabriel Pec, de 18 anos, atravessa programa de fortalecimento muscular
Imagem: Rafael Ribeiro / Vasco

"A gente elaborou um programa de desenvolvimento de massa, pois ele (Pec) está carente neste aspecto. Ele precisa melhorar para sustentar as pancadas, o tranco e desempenhar melhor a função dele", explicou ao UOL Esporte o preparador físico Antônio Mello.

Já Kaio Magno, irmão mais velho do jovem destaque Talles Magno - que está com a seleção brasileira sub-17 - passa por um trabalho de resistência muscular localizada.

"Se for olhar o aspecto físico dele, tem um outro perfil, diferente do irmão. Ele está com uma alimentação adequada, um tratamento de resistência muscular localizada bem intenso para definir e um trabalho de agilidade, paralelo, em busca do que ele precisa. São pessoas diferentes. Tem que respeitar as individualidades", disse Mello.

Coordenador científico do Vasco, Daniel Gonçalves destacou que outros jovens também têm ganho uma atenção especial em outros tipos de trabalho:

"Até mesmo os atletas que não fazem o trabalho no contra turno, como o Pec e o Kaio, também têm trabalhos individuais, que são os pré-treinos. Uma hora antes do treino eles já fazem um trabalho individualizado, passando na fisioterapia ou academia, seja para ganhar massa muscular, força, resistência muscular localizada ou qualidade de movimento", explicou.

Gonçalves também fez questão de enaltecer o trabalho realizado nas divisões de base, destacando que tem sido uma filosofia adotada pelo clube.

"Temos que valorizar o trabalho nas categorias de formação. O clube tem apostado nisso, é uma linha institucional que o Vasco tem adotado. Tem um aspecto de desenvolvimento dos atletas de base para ter a vantagem técnica, mas também o retorno econômico disso. Nosso papel é justamente individualizar através das avaliações."

Talles não precisou de trabalho especializado

Talles Magno, de 17 anos, já possui biótipo que não precisará de cronograma individualizado do Vasco - Rafael Ribeiro / Vasco
Talles Magno, de 17 anos, já possui biótipo que não precisará de cronograma individualizado do Vasco
Imagem: Rafael Ribeiro / Vasco

Com um biótipo físico mais desenvolvido, apesar dos 17 anos, Talles Magno não precisou passar por um cronograma individualizado.

"Pec faz ganho de massa porque necessitou-se de um ganho muscular. O Talles já consegue reproduzir uma situação de jogo melhor, então, se faz um trabalho não tão intensivo de ganho de massa muscular e aí vai se traçando individualmente", explicou Daniel.

Além da genética que o ajuda, Talles Magno tem demonstrado uma mentalidade profissional, segundo o preparador físico Antônio Mello:

"Estamos respeitando muito a formação do Talles, mas ela está vindo muito rápido por conta dele. Não sou eu quem determina, o próprio atleta vai se manifestando, mostrando sabedoria no que faz. Ele raciocina como um atleta de mais de 20 anos e é um menino de 17."

Início de Robinho no Santos foi exemplo

Robinho durante treino do Santos em sua primeira passagem pelo clube: passou por fortalecimento muscular - Fernando Santos/Folha Imagem
Robinho durante treino do Santos em sua primeira passagem pelo clube: passou por fortalecimento muscular
Imagem: Fernando Santos/Folha Imagem

O trabalho elaborado para Gabriel Pec, que é visto como uma promessa do clube, foi parecido com o que a dupla Antônio Mello e Vanderlei Luxemburgo realizou com Robinho, no Santos, em seu início de carreira. O preparador físico revelou que foi estipulado uma meta de ganho muscular para quando o atacante alcançasse os 18 anos.

"Temos um exemplo claríssimo. Quando o Robinho subiu com a gente no Santos, ele tinha corpo de menino, cara de menino e atitude de menino, mas um futebol de gente grande. Então, qual foi a preocupação na época? Mudar esse conceito. Teve um acompanhamento nessa cronologia. Eu não posso pegar um garoto de 18 anos e tentar fazer um corpo de 21, porque ele vai ter o tempo de maturar, ganhar massa, peso e altura dentro do seu tempo normal. Na época, se estabeleceu para ele um ganho de 2 kg até completar 18 anos, e foi respeitado isso porque fazia parte da formação atlética desse jogador", explicou Mello.

Vasco está há 4 meses sem lesões musculares

Preparador físico Antônio Mello comanda um de seus treinos prediletos: na caixa de areia  - Rafael Ribeiro / Vasco
Preparador físico Antônio Mello comanda um de seus treinos prediletos: na caixa de areia
Imagem: Rafael Ribeiro / Vasco

A parceria entre Daniel Gonçalves e Antônio Mello tem rendido frutos. De acordo com o preparador físico, o Vasco está há quatro meses sem lesões musculares na equipe profissional, mesmo com a temporada já caminhando para sua reta final.

"Hoje faz quatro meses da nossa chegada [dele e de Luxemburgo ao clube]. Associado a um trabalho que é muito bem feito de prevenção com o Daniel, estamos sem um atleta no departamento médico por problema muscular. O que teve foi problema articular. Se Deus quiser, vamos chegar até o fim do Campeonato Brasileiro com todos os jogadores à disposição do Vanderlei", disse Mello.

O preparador físico elogiou o que encontrou no Vasco em sua chegada, algo que facilitou seu trabalho:

"Começamos a nos preocupar em fazer um trabalho em cima do que o Daniel já vinha fazendo. Quando cheguei, encontrei um trabalho muito bem organizado por ele, tanto na prevenção quanto no fortalecimento muscular".

Vasco investiu em tecnologia

Coordenador científico Daniel Gonçalves teve pedido atendido para compra de GPS's em tempo real - Rafael Ribeiro / Vasco
Coordenador científico Daniel Gonçalves teve pedido atendido para compra de GPS's em tempo real
Imagem: Rafael Ribeiro / Vasco

Um dos segredos para o baixo número de lesões do Vasco está no investimento em tecnologia, segundo Daniel Gonçalves. O clube hoje dispõe dos mesmos GPS's utilizados por grandes equipes europeias e que servem para dar um Raio-X completo de cada jogador.

"O clube se conscientizou este ano que o agente principal de redução de lesão é o controle de carga, e para isso é preciso ter um aparato tecnológico. Então, o clube fez um investimento no recurso que é o GPS em tempo real, que os grandes clubes europeus e seleções usam. É o mesmo artefato usado por Arsenal, Manchester United, PSG...", destacou o fisiologista.