Topo

UOL Esporte vê TV


5 vezes que o internauta não soube lidar com a votação de craque da rodada

reprodução/TV Globo
Imagem: reprodução/TV Globo

Do UOL, em São Paulo

10/09/2019 04h00

As polêmicas em torno do "Craque do Jogo", prêmio dado pela Globo ao melhor jogador da partida, reapareceram no domingo (8), em Santos 1 x 1 Athletico. O meia Kawan foi o preferido da torcida sem nem sequer ter entrado em campo.

A "zoeira" imposta pela torcida nas redes sociais não é novidade. Vários "climões" foram gerados desde que a emissora decidiu entregar o prêmio em suas transmissões. Alguns foram contornados. Mas houve episódios em que faltou jogo de cintura:

Relembre alguns casos:

Sidão (Vasco)

O caso mais emblemático envolveu Sidão. O goleiro do Vasco falhou várias vezes em derrota para o Santos, por 3 a 0, no Pacaembu, e acabou eleito o melhor jogador da partida com 90% dos votos. Na hora de entregar o prêmio a ele, a repórter Julia Guimarães, da Globo, ficou visivelmente constrangida.

"Sidão, eu vou ter que te entregar o troféu de craque do jogo. Foi uma votação feita apenas por torcedores na internet. É um jogo que foi complicado para você, uma partida bastante difícil. Mas fica aqui esse troféu para você", disse a repórter, sem graça.

O caso fez com que a Globo mudasse o sistema de votação. O craque do jogo passou a ser escolhido com a soma dos votos da torcida e dos comentaristas.

Aírton (Fluminense)

A mudança evitou um novo "caso Sidão". O volante Aírton, do Fluminense, foi expulso ainda no primeiro tempo do jogo contra o Athletico. Júnior e Sandro Meira Ricci, que trabalhavam na transmissão, votaram em Rony, atacante do time paranaense, evitando nova "pegadinha".

Neymar (Brasil)

A votação também foi usada de maneira polêmica no amistoso entre Brasil e Qatar, em junho deste ano. O jogo foi o primeiro de Neymar após a acusação de estupro feita pela modelo Najila Trindade. O jogador se machucou ainda aos 17 minutos do primeiro tempo.

Ele venceu a eleição da torcida com 41%. Mais uma vez, os membros da transmissão "salvaram" a situação. Júnior e Cléber Machado votaram em Philippe Coutinho, que acabou levando o troféu para casa.

Egídio (Cruzeiro)

O lateral do Cruzeiro foi mais um alvo de brincadeiras nas redes sociais. Ao falhar no empate com o Avaí, foi escolhido pela torcida com 58% dos votos. O prêmio só não foi dado a ele porque os comentaristas da Globo elegeram o volante Pedro Castro, do Avaí, como o melhor.

Kudela (República Tcheca)

Uma das primeiras mobilizações com o "Craque do Jogo" aconteceu quando a seleção brasileira fez amistoso contra a República Tcheca, em março deste ano. O zagueiro Ondrej Kudela foi eleito o melhor jogador com 28,30% dos votos. O sobrenome peculiar para a língua portuguesa colaborou.

"Estavam pensando que eu ia falar diferente. Valeu! É o voto da ironia, eles queriam ver o que o Galvão ia falar. Ganhou com 28,30%. Houve um movimento. Como é que se chama isso aí? Viralizou, né? É meme, meme, essas coisas todas aí", divertiu-se Galvão na transmissão.