Topo

Ex-promessa do Grêmio teve atrito com Renato, mas diz que mágoa é passado

Tetê, jogador do Shakhtar Donetsk - Divulgação
Tetê, jogador do Shakhtar Donetsk Imagem: Divulgação

Brunno Carvalho

Do UOL, em São Paulo

08/09/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Tetê reclamou por não ser promovido ao time profissional e acabou negociado
  • Técnico do Grêmio, Renato Gaúcho falou na época que "ninguém sobe no grito"
  • No Shakhtar Donestk, ele marcou dois gols na final da Copa da Ucrânia

Tetê deixou o Grêmio em março deste ano envolvido em uma polêmica com Renato Gaúcho. O meia-atacante estava incomodado por não ser promovido ao time principal. Já o treinador, afirmava que ninguém subiria "no grito". Passados seis meses, o agora jogador do Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, afirma que a mágoa com o clube gaúcho ficou no passado.

"Não tem mais mágoa nenhuma", disse ele. "A mudança para o Shakhtar foi a melhor da minha carreira. Jogar no profissional é um passo muito importante, e acredito no meu crescimento. Tenho crescido e aprendido bastante".

Aos 19 anos, Tetê foi vendido ao Shakhtar Donetsk por 10 milhões de euros (R$ 42,5 milhões na cotação atual). Após um período de adaptação, ele agora é titular da equipe ucraniana, e marcou seus primeiros dois gols na temporada no duelo contra o Mariupol, no último dia 25 de agosto, pelo Campeonato Ucraniano.

Tetê era destaque da base do Grêmio - Fernando Jacondino/Divulgação
Tetê era destaque da base do Grêmio
Imagem: Fernando Jacondino/Divulgação

"A gente vinha trabalhando desde o Brasil essa situação de fazer gol e dar assistência. Sabia que uma hora ou outra, isso ia acontecer", disse ele, que marcou duas vezes na final da última Copa da Ucrânia.

Com pouco tempo no clube, Tetê conta com a ajuda dos brasileiros para se comunicar no vestiário do Shakhtar. "Eu falo um português mesmo. Mas tem o Marlos e o Taison que falam russo, então eles acabam perguntando para mim".

O Shakhtar Donestk está no Grupo C da Liga dos Campeões. A equipe enfrentará o Manchester City, a Atalanta e o Dínamo Zagreb (CRO). "É um sonho jogar a Champions. Acho que todo menino que joga futebol tem esse sonho".