Topo

Futebol


Inter vai à CBF e tenta antecipar jogo com Cruzeiro para ter Guerrero

Ricardo Duarte/Inter
Imagem: Ricardo Duarte/Inter

Jeremias Wernek e Rodrigo Mattos

Do UOL, em Porto Alegre e Rio de Janeiro

15/08/2019 15h47

O Internacional moveu mais uma peça no tabuleiro para ter Paolo Guerrero no segundo jogo da semifinal da Copa do Brasil, contra o Cruzeiro. Hoje (15), Marcelo Medeiros, presidente do clube gaúcho, foi à CBF tentar antecipar a partida originalmente marcada para 4 de setembro. A ideia é pedir que o duelo seja jogado 24h antes, na terça-feira.

Segundo apurou o UOL Esporte, a CBF não rechaçou o pedido de cara e analisa a possibilidade de alterar. A questão principal, no momento, é a grade de programação da Globo, que tem transmitido todas as partidas de mata-mata da Copa do Brasil.

A ação do Inter acontece logo depois da visita à Federação Peruana de Futebol e contato do próprio Guerrero com Ricardo Gareca, treinador da seleção.

"As datas estão marcadas para quarta-feira, talvez se possa antecipar um dia e aí teremos mais tempo para montar a logística do jogador. Essa é uma das possibilidades, mas depende mais da CBF. A convocação depende do treinador, a apresentação dele lá depende da federação e as datas são com a CBF", disse Roberto Melo, vice de futebol do Inter.

Paolo Guerrero falou com Gareca na quinta-feira, horas depois de a comitiva do Inter visitar o prédio da FPF. Sem sinalização de que a liberação acontecerá, a saída vermelha foi procurar um plano B.

A alternativa pensada é adiar a viagem do atacante para os amistosos nos Estados Unidos, nos dias 5 e 10 de setembro.

"A gente está fazendo tudo que a gente pode. Não estamos medindo esforços, tempo e energia para que ele possa jogar esse jogo, o segundo jogo da semifinal. Mas não depende da gente", comentou Melo.

A seleção peruana enfrenta Equador e Brasil nas datas separadas pela Fifa para amistosos de seleções. O Inter recebe o Cruzeiro um dia antes do primeiro confronto do time de Ricardo Gareca.

A coluna De Primeira mostrou que Paolo Guerrero estava constrangido diante do cenário, onde houve mobilização do clube gaúcho e de torcedores pedindo desconvocação.

Mais Futebol