PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Justiça decreta que chapa da situação do Fla usará cor azul em eleição

Eleição do Flamengo já tem polêmica antes mesmo dela acontecer - Pedro Ivo Almeida/UOL
Eleição do Flamengo já tem polêmica antes mesmo dela acontecer Imagem: Pedro Ivo Almeida/UOL

Do UOL, no Rio de Janeiro

27/09/2018 18h32

O juiz João Marcos de Castello Branco Fantinato, da 34ª Vara Cívil do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), julgou como procedente o pedido dos representantes da chapa da situação do Flamengo de utilizarem a cor azul nas cédulas da eleição do clube que ocorrerá em dezembro. O grupo tem como candidato Ricardo Lomba, atual vice de futebol rubro-negro. Vale salientar, porém, cabe recurso e os advogados da chapa de oposição, capitaneada por Rodolfo Landim, irão exercer esse direito.

Atual mandatário, Eduardo Bandeira de Mello, representando o clube enquanto réu, se manifestou na Justiça contra a também inédita decisão do Conselho de Administração e da Comissão Eleitoral. O pedido era para que uma ação em andamento fosse favorável ao seu candidato, o vice de futebol Ricardo Lomba, o que foi decretado na sentença.

A questão teve origem na disputa pelas cores das chapas no pleito de dezembro. Situação e oposição (Rodolfo Landim) protocolaram a inscrição com o pedido de utilização da cor azul. O objetivo é claro. Como o grupo original se elegeu em 2012 com a cor em questão, ela naturalmente ficou ligada aos administradores responsáveis pela recuperação econômica do Flamengo.

Acontece que o grupo se dissolveu com o passar do tempo e os dois lados se julgam donos da “Chapa Azul”. Ambos, inclusive, acreditam que um bom número de associados vota pela cor, ligando-a diretamente ao grupo e sem nem sequer ter o conhecimento dos integrantes que compõem a chapa.

Futebol