PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Gestora planeja ampliar Independência para fidelizar Galo e atrair Cruzeiro

Torcida do Atlético-MG no estádio Independência, em Belo Horizonte - Bruno Cantini/Atlético-MG
Torcida do Atlético-MG no estádio Independência, em Belo Horizonte Imagem: Bruno Cantini/Atlético-MG

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

30/03/2017 17h45

Atualmente com capacidade para 23.018 pessoas, o Independência deve ter uma ampliação para 30 mil lugares em breve. O desejo da LuArenas, gestora do estádio, foi comunicado a dois presidentes do América-MG, na última terça-feira (28), e tem como objetivo evitar que o Atlético-MG, seu principal cliente, atue no Mineirão, além de atrair o Cruzeiro para o Campo do Horto. Uma ala da diretoria do Coelho desconhece a mudança.

Bruno Balsimelli, presidente da concessionária, confirma a ideia de ampliação do local. Em entrevista ao UOL Esporte, ele revela por que planeja aumentar a capacidade do estádio que se tornou um caldeirão para o Galo desde 2012.

“Tivemos uma reunião com dois presidentes do América-MG na última terça-feira (28). A conversa foi produtiva e eles concordaram em nos ajudar. Expliquei que, no formato atual, o Independência é deficitário. A gente precisa tornar o estádio mais lucrativo. Hoje, cabem 23 mil pessoas no estádio. Por que não ampliar esta capacidade para 30 mil. Seria muito melhor para nós que houvesse a ampliação”, comentou.

“Hoje eu preciso fidelizar o meu principal cliente, que é o Atlético-MG. No ano passado, eu perdi alguns jogos do meu principal cliente por conta da capacidade do estádio. Ainda há a possibilidade de o Cruzeiro vir jogar no Independência os jogos em que queira ter até 30 mil pessoas. Sabe qual é a média do Cruzeiro hoje? 22 mil torcedores por jogo. Sabe qual é a do Atlético? 20 mil. Então, por que eles não podem jogar no Independência? Queremos os dois jogando lá. Imagina o caldeirão que seria jogar ali com 30 mil pessoas todo jogo. Aí eu consigo ter camarote, bares e outros setores. É mais atrativo”, acrescentou.

A mudança consiste na instalação de cadeiras móveis acima do vestiário do estádio Independência. As instalações serão custeadas pela LuArenas e estão avaliadas em cerca de R$ 8 milhões, conforme apurado pela reportagem. O montante já inclui a aquisição das arquibancadas por parte da empresa.

Enquanto a gestora do Campo do Horto garante que está próxima de iniciar os trabalhos de instalação das cadeiras, parte da diretoria do América-MG desconhece situação. Procurado pela equipe do UOL Esporte para comentar o fato, o presidente Alencar da Silveira Júnior, um dos nove que ocupa o cargo, afirmou:

“Não tem nada disso. O América está disposto a conversar com a LuArenas para escutar a proposta e a possibilidade, mas não foi comunicado de nada. Tudo que sair na imprensa, neste momento, não tem validade, porque não fomos procurados”, afirmou.

A reportagem apurou que um dos dirigentes do Coelho que se reuniu com Bruno Balsimelli foi Paulo Ramiz Lasmar.
 

Futebol