PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Sem poder vender 4 mil ingressos, Atlético-MG deixa de faturar R$ 240 mil

Espaço destinado a cerca de 700 torcedores da Caldense na final com o Atlético - Victor Martins/UOL Esporte
Espaço destinado a cerca de 700 torcedores da Caldense na final com o Atlético Imagem: Victor Martins/UOL Esporte

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

26/04/2015 18h14

Foram mais de 53 mil pagantes e que proporcionaram uma renda superior a R$ 2,3 milhões ao Atlético-MG. Mesmo assim a diretoria alvinegra ficou insatisfeita, já que o público poderia ser maior, assim como o faturamento com a venda de bilhetes. Tudo por causa de uma decisão da Polícia Militar, que proibiu a comercialização de 4 mil lugares.

Em reunião que aconteceu na sede da Federação Mineira de Futebol (FMF) durante a semana, a PMMG determinou que o espaço era necessário para dar segurança aos torcedores da Caldense. Assim, o Mineirão recebeu cerca de 700 pessoas em um espaço capaz de comportar quase 5 mil torcedores. Além de inviabilizar a quebra do recorde de público do estádio, o Atlético deixou de faturar cerca de R$ 240 mil, pois a entrada do setor custava R$ 60.

“É um absurdo. No Fla-Flu ou em qualquer lugar o espaço de separação tem um metro ou dois metros. Mas jogando Atlético e Caldense parecendo que é uma torcida internacional que está vindo aqui. Mas é um aprendizado, espero que a Polícia Militar tome consciência disso. Nós estamos perdemos. O Estado perde, a população perde, o futebol mineiro perde. Todos perdem. E quanto mais distante, mais animosidade você cria. Tem que criar um ambiente de convivência, um espaço mínimo dava tranquilamente”, disse Lásaro Cunha, diretor jurídico do Atlético, ao UOL Esporte.

De acordo com o dirigente alvinegro, a decisão foi imposta pela Polícia Militar e o clube nada conseguiu fazer para mudar. No entanto, o entendimento dentro do Atlético é que isso não vai se repetir em um próximo episódio.

“O clube não teve como argumentar, foi coisa da Polícia Militar. Determinou esse espaço por questão de segurança, pois ela entende que seria o espaço necessário. E não é, está comprovado que não é”.

Com 53.772 pagantes o Atlético não conseguiu quebrar o recorde de público do novo Mineirão, que pertence ao jogo Brasil 1 x 7 Alemanha, pela semifinal da Copa do Mundo. Naquela ocasião o estádio recebeu 58.141 pessoas. Por outro lado, o recorde de público presente continua com o Atlético. Na final da Libertadores de 2013 foram 58.620 presentes no triunfo sobre o Olímpia, do Paraguai.

Futebol