Topo

Futebol


Aos 36 anos, Tinga vira referência da 'gurizada' no Cruzeiro

Dionizio Oliveira

Do UOL, em Belo Horizonte

22/01/2014 06h00

Com 36 anos completados recentemente, Tinga desempenha um papel fundamental no Cruzeiro. Se tem sido pouco aproveitado pelo técnico Marcelo Oliveira, o volante é um dos principais líderes do grupo celeste e se tornou uma referência no clube, principalmente para a “gurizada”, como carinhosamente trata os atletas mais jovens.

Apesar de ficar no banco na maior parte da temporada passada, Tinga não criou nenhum tipo de problema para Marcelo Oliveira. Pelo contrário, ajudou o treinador tanto em campo quanto fora dele. Pela experiência no futebol, o volante é um dos que mais orientam os companheiros, conversa, cobra e dá conselhos.

“O Tinga tem boa técnica, tem experiência, talvez seja o jogador que mais fale em campo. Tem uma leitura boa do que está acontecendo, isso é muito difícil e raro. Esse é o tipo de liderança que ele exerce nesse grupo, já disputou campeonatos importantes fora do País e serve como exemplo para os mais jovens”, observou Marcelo Oliveira.

Em 2013, sob o comando de Marcelo Oliveira, Tinga não foi tão utilizado pelo treinador e participou de 22 partidas, sendo 20 oficiais, e entrou como titular em apenas quatro oportunidades. Uma quantidade significativamente menor do que em 2012, quando disputou 26 partidas somente pelo Brasileirão e 22 como titular.

O volante Lucas Silva, que disputa a posição com Tinga no meio-campo, se espelha principalmente no comportamento do companheiro com os demais jogadores. Apesar da concorrência interna, o relacionamento dos dois é muito bom e o jovem aproveita a experiência do colega para evoluir na carreira.

“Aqui tenho exemplos que tiro como lição. O Tinga mesmo é um jogador experiente, maduro, o modo de falar no centro de treinamento, no campo, é diferente. E nós, jogadores da base, tiramos com lição”, afirmou a jovem revelação cruzeirense.

Os companheiros respeitam Tinga por seu comportamento e pelo currículo vitorioso. Com títulos como o bicampeonato da Libertadores, o bicampeonato da Copa do Brasil e o Brasileirão, o jogador é um dos maiores vencedores do elenco e, ainda sim, segue trabalhando firme para manter a forma e a longevidade na carreira, sendo sempre um dos destaques nos testes físicos.

“O segredo é a satisfação, o orgulho de estar trabalhando em uma profissão tão boa como o futebol. Sempre procuro passar para os mais jovens que a gente foi selecionado para estar em um grande clube, uma grande profissão. O segredo é querer mais, estar com os olhos brilhando a cada treino e a cada jogo”, afirmou Tinga.

“Por tudo que passei na carreira, poderia ser apenas mais um treino e mais um jogo, mas não. Todo dia eu quero mais e consequentemente isso tem contagiado, e a todo grupo também. Esse é o segredo e muitos jogadores já têm esse perfil no clube”, acrescentou o volante cruzeirense, que é muito elogiado pelos funcionários do clube pela forma como os trata.

E a “gurizada” espera repetir os passos de Tinga. “A gente o respeita demais. O Tinga é um cara trabalhador, é complicado falar, mas é um dos jogadores que eu mais gosto. Espero poder fazer o que ele faz com 36 anos”, ressaltou o atacante Vinícius Araújo, de 20 anos.

Tinga chegou ao Cruzeiro no meio de 2012 e disputou 48 jogos com a camisa celeste. Sua estreia foi no empate sem gols contra o Náutico, no dia 25 de maio daquele ano, pela segunda rodada do Brasileirão. O seu contrato com o clube celeste vai até dezembro deste ano.

Futebol