PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Flu 'ignora' possível virada da Lusa e já se planeja para Série A em 2014

Rodrigo Paradella

Do UOL, no Rio de Janeiro

19/12/2013 11h00

Embora a decisão sobre a permanência do Fluminense na Série A ainda necessite de confirmação no Pleno do SJTD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva), o clube já trabalha seu planejamento nos bastidores de olho na Série A de 2014. O Tricolor vê como muito difícil uma revisão da condenação da Portuguesa na instância superior do tribunal.

As mudanças no planejamento em relação ao que seria usado numa Série B, no entanto, não são tão grandes. A principal alteração seria uma possível saída de algum dos medalhões do elenco para adequar o orçamento da equipe à segunda divisão. Entre os nomes que poderiam ser negociados estão Diego Cavalieri, Rafael Sóbis e Carlinhos.

Fluminense aproveitaria o valor de mercado desses atletas para fazer caixa e diminuir a folha salarial em 2014. A hipótese de se desfazer de algum desses nomes na Série A é improvável, embora os três tenham sondagens de outros clubes, como Palmeiras, Internacional e São Paulo.

Outros jogadores já tem destino definido. Anderson, Felipe e Rhayner já deixaram as Laranjeiras, uma vez que seus contratos se encerram no fim de 2013 e não serão renovados. Na mesma situação, o volante Edinho também não deve ficar na próxima temporada, assim como o atacante Marcelinho.

Já para o nome do treinador, a tendência é que a escolha fique entre Ney Franco e Renato Gaúcho. O primeiro chegou a ser opção forte na ocasião da demissão de Abel Braga, em julho do ano passado, mas acabou sendo preterido por conta da preferência de Celso Barros, presidente da parceira Unimed Rio, por Vanderlei Luxemburgo.

Renato Gaúcho é o favorito da vez de Celso Barros para o cargo, até pela boa relação pessoal que mantém com o empresário. O treinador deixou o Grêmio no fim deste ano em alta após o vice-campeonato brasileiro e a vaga para a Libertadores.

O responsável pelas tratativas com os treinadores é o novo diretor executivo de futebol Felipe Ximenes, que assumiu o cargo na semana passada, após a demissão do antecessor Rodrigo Caetano. O dirigente tem optado pela discrição em relação ao planejamento de 2014. Ele adiantou somente que não fará muitas mudanças no elenco.

“Sou apenas uma peça nesta engrenagem. Há um grupo de profissionais para definir a montagem de um elenco. Nós temos jogadores com contratos no clube, que precisam ser respeitados, é preciso existir continuidade. As temporadas são delimitadas pelo início e final do ano, mas o clube é eterno. Não se troca todo o elenco, como acontecia há 20 anos”, explicou Ximenes ao site oficial do Fluminense.

Quanto às contratações, nem mesmo uma possível reviravolta no STJD mudaria os planos do Fluminense. O Tricolor pretende trazer reforços mais modestos que em outros anos, apostando em jogadores ainda desconhecidos ou em ascensão no cenário nacional.

O meia argentino Dário Conca deve ser mesmo a única grande contratação do Fluminense para 2014. O jogador terá grande parte de seus vencimentos pagos pela Unimed e volta com o status de ídolo após a boa passagem encerrada pelo título brasileiro em 2010.

Futebol