Topo

Futebol


Santos economizará R$ 1,5 milhão mensal com saída de veteranos e rejeitados

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

06/12/2013 06h00Atualizada em 06/12/2013 15h41

O Santos não vê problemas em desembolsar três salários de expressão para os novos reforços do time em 2014. Isso porque o clube está enxugando a sua folha de pagamento. O UOL Esporte apurou que entre veteranos e atletas que serão dispensados no final deste ano, o clube economizará mensalmente cerca de R$ 1,5 milhão.

A economia se deve principalmente devido as dispensas do volante Marcos Assunção, do zagueiro Durval e do meia Renato Abreu. No entanto, a folha salarial diminuirá também com as saídas de Renê Júnior e Everton Costa, que englobam a lista que reduzirá os gastos do Santos.

Léo encabeçava a lista de dispensas da diretoria do Santos e, inclusive, ficou revoltado com os dirigentes ao ser informado por terceiros que não teria seu contrato renovado. No entanto, a diretoria santista voltou atrás, reduziu o salário do veterano e resolveu homenagear o ídolo com a renovação contratual até o fim do Campeonato Paulista de 2014.

Além do corte de gastos com os atletas renegados, as dezenas de demissões no departamento administrativo e de futebol em 2013 geraram mais uma economia de R$ 500 mil mensais ao clube. Integram a enorme lista: superintendentes, advogados, gerentes, assessores de imprensa e funcionários considerados de baixo escalão.

Se não bastasse, o Santos também terá um desafogo com Muricy Ramalho e Fábio Costa. A diretoria santista a ultima parcela de R$ 350 mil mensais neste mês, equivalente a multa rescisória do treinador, que foi demitido no dia 31 de maio deste ano.

Por Fábio Costa, o Santos desembolsa de salário cerca de R$ 160 mil por mês, valor que não precisará ser mais a pago a partir de janeiro de 2014, já que o contrato do goleiro termina no final deste mês.  

O Santos promete utilizar a verba para pagar o salário de três “medalhões”, termo utilizado no futebol para atletas renomados.

"Vai ser uma ajuda boa. São R$ 165 mil por mês, alguma coisa por aí. Vamos deixar de pagar, é um jogador que não está rendendo, não está jogando. Importante a gente encerrar o contrato dele. A gente precisa de um reforço e isso ajuda", afirmou o presidente do Santos, Odílio Rodrigues.

"A gente está trabalhando com a possibilidade de umas três contratações. Depende das condições de cada uma. Mas podem ser quatro, duas...", completou.

Além da Teisa (Terceira Estrela Investimentos), o Santos tem parceria com outro investidor para reforçar o elenco. O nome não foi revelado.  Como já era previsto, o clube fechou 2013 no "vermelho", mas o orçamento para 2014 foi aprovado no Conselho Deliberativo na semana passada. O orçamento prevê gastos de R$ 3,6 milhões com reforços, mas o valor será ultrapassado. A Teisa, por sua vez, possui R$ 5 milhões para gastar em contratações com o Santos.

Futebol