Topo

Futebol


Rodrigão vê desafio na Série B gaúcha em 17º clube e diz que casamento com Hortência ajudou na carreira

Rodrigão ao lado de Hortência; casal ficou junto por cinco anos - Julia Moraes/Folhapress
Rodrigão ao lado de Hortência; casal ficou junto por cinco anos Imagem: Julia Moraes/Folhapress

José Ricardo Leite

Do UOL, em São Paulo

17/01/2013 06h00

Aos 34 anos e mais de 15 clubes na carreira, o atacante Rodrigão, ex-Santos, Palmeiras e seleção brasileira, entre outros, diz estar empolgado em seu novo desafio, de defender o Aimoré-RS, da segunda divisão gaúcha, e ainda pensa em futuramente voltar a uma grande equipe.

Rodrigão passou dificuldades na temporada passada em virtude de uma lesão no tornozelo, mas ainda assim fez parte de um elenco jovem do Jabaquara e diz estar bem preparado para 2013. Falou ainda que está longe de pensar no final da carreira.

RODRIGÃO EM SEU 17º CLUBE

  • Fernando Santos/Folha Imagem

    Rodrigão já passou por Santos, Internacional-RS, Saint-Etienne-FRA, Botafogo-RJ, Guarani, Marítimo-POR, Santo André, Atlético-PR, Al Hilal-Arábia, Palmeiras, Vitória, Guaratinguetá, Índios Suarez-MEX, Anapolina-GO, Independente-SP e Jabaquara.

“Estou muito empolgado. É mais um desafio na carreira profissional, até porque é um clube que se planeja para o acesso à primeira divisão. Estou em um momento da minha vida que quero desafios. Sempre projetei conquistas por outros clubes onde passei, e agora é momento projetar desafios. E esse desafio seria o acesso para a primeira divisão do Rio Grande do Sul”, falou ao UOL Esporte.

“Projeto bons trabalhos para poder estar numa equipe de maior expressão. Muitos falam que vou pra time de menor expressão porque penso em parar. Mas pelo contrário, às vezes uma equipe como essa apresenta um projeto onde você uma conquista”, continuou.

Feliz com o projeto e a estrutura do novo clube, Rodrigão fala com propriedade, após jogar em 16 clubes, que muitas equipes da Série A têm deficiência no que diz respeito ao que oferecer para um atleta estar motivado e poder render.

“Muitas vezes você vai pra uma equipe e pensa que é um projeto, mas e não é. A equipe tem seu tamanho e grandeza, não só pelos títulos e história, mas pelo momento e o que é apresentado para o jogador. Tem muita equipe da Série A, por exemplo, que não tem um projeto” explicou.

Hortência

Paralelamente à sua carreira profissional no futebol, Rodrigão ganhou destaque por ter se casado e convivido com a ex-jogadora de basquete e hoje coordenadora da seleção brasileira, Hortência.

O casal se separou em 2010, mas, de acordo com o atacante, eles ainda mantém uma forte amizade e a relação não ficou abalada por conta do fim do relacionamento.

Rodrigão afirma, inclusive, que a campeã mundial de basquete foi muito importante em sua carreira no futebol ao lhe dar vários conselhos em um momento da carreira em que era jovem.

“Foi uma pessoa que fez sua história no esporte e eu sabia da minha história na minha profissão. No esporte dela foi a melhor e tentei tirar isso com exemplo. Nunca me incomodei com isso [ser conhecido pelo casamento]. A gente se dá bem até hoje. Ela me fez crescer profissionalmente e pessoalmente. Ela me ensinou muito, apesar de serem esportes diferentes”, falou.

“Ela já tinha passado por muita coisa que eu passava. Falava ´vai por esse lado que é melhor´. A cabeça do atleta mais jovem muitas não enxerga o problema e passa para o próximo. Ela me demonstrava isso, falava para eu trabalhar determinada coisa, lembrava que o treinador tinha 30 cabeças para pensar. Sempre me falava isso”, continuou. "Era abaixar a orelha e escutar, com uma pessoa que foi a melhor em seu esporte, não tinha o que contra-argumentar", finalizou.

Mais Futebol