PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Palmeiras espera ganhar R$ 35 milhões do Corinthians por causa de Rogério "Pedalada"

Rogério, à direita, participa de treino do Corinthians em 2000 ao lado de Djair e Sheidt - Jarbas Oliveira/Folha Imagem
Rogério, à direita, participa de treino do Corinthians em 2000 ao lado de Djair e Sheidt Imagem: Jarbas Oliveira/Folha Imagem

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

30/03/2012 11h00

O Palmeiras pode ganhar, em última instância, quase R$ 35 milhões em uma ação no STJ (Superior Tribunal de Justiça), em Brasília.

O time paulista espera que a ação movida contra o Corinthians por causa da contratação de Rogério, em 2000, seja julgada nas próximas semanas, já que deixou de ficar no arquivo, esperando a fila de julgamentos. O volante, mais tarde, ficaria famoso por ter tomado as pedaladas de Robinho, na final do Brasileiro de 2002. 

AÇÕES DO PALMEIRAS NA JUSTIÇA

Rogério: O Palmeiras espera ganhar R$ 35 milhões por ter perdido o volante para o Corinthians sem ter sido ressarcido. Ação está em última instância.
David Braz: Advogados que já trabalharam para o Palmeiras estimam que o clube pode ganhar até R$ 16 milhões. Ação está na Fifa e corre contra o zagueiro e também contra o Panathinaikos, da Grécia.
Alejandro Martinuccio: Jogador assinou pré-contrato com o Palmeiras, mas ignorou e parou no Flu. Time paulista move ação na Fifa contra o cariocas e atleta. Cobra R$ 50 milhões, mas sabe que caso demorará.
Basílio: Em 2002, o baixinho que ficou famoso pela velocidade, deixou o clube e foi parar no Ituano. Ação ainda aguarda decisão e pode render R$ 6,5 milhões.

A ação aconteceu porque, em 2000, Rogério usou o Tribunal do Trabalho para ir para o Corinthians. O contrato do volante estava próximo de acabar e ele acabou conseguindo uma liminar para poder deixar o Palmeiras.

O clube se sentiu lesado e cobrou, além dos R$ 8 milhões, valor correspondente ao “passe” de Rogério, danos morais e ressarcimento por outros eventuais prejuízos que teve com a saída do volante.

Em sua defesa, o Corinthians tem dito que Rogério foi para o Parque São Jorge quando já não tinha mais contrato com seu arquirrival. 

A Justiça do Trabalho, que deu a vitória ao Palmeiras na 3ª instância, emitiu um documento que continha o seguinte trecho: “Tendo o esportista pactuado com o coapelado Sport Club Corinthians Paulista, cabe ao clube réu pagar aos apelantes o valor do passe do atleta, montante a ser apurado em liquidação de sentença, conforme o pleiteado na inicial“.

Inicialmente, o caso estava sob o comando de Antônio Carlos Corcione, ex-diretor jurídico, e um advogado externo contratado. Com a mudança de gestão, um outro profissional foi contratado e está, agora, sob o comando de Piraci de Oliveira, novo diretor do setor.

“O caso está bem perto de ser julgado. Já está perto de ter a decisão do STJ. Como o caso está com outro advogado, preciso manter a ética de não comentar muita coisa”, disse Piraci.

Na Fifa, o Palmeiras ainda espera ganhar mais dinheiro, referente a outros problemas. O primeiro, o mais recente, envolve a ida de Alejandro Martinuccio para o Fluminense, mesmo após o argentino ter assinado pré-contrato com o clube paulista. A ação deve demorar pelo menos mais um ano por causa da burocracia da entidade máxima do futebol.

Também na Fifa, mas em menos tempo, o Palmeiras ainda pode ganhar dinheiro do zagueiro David Braz, que deixou o clube e foi parar no Panathinaikos, da Grécia, quebrando o contrato. O time europeu também está sendo acionado pelo jurídico palmeirense.  

Há, ainda, o caso de Basílio, no qual o time do Palestra Itália pode receber até R$ 6,5 milhões por ter sido deixado pelo atacante. 

Futebol