PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Oposição irá questionar Orlando Silva e Petrobras sobre compra de terreno sobre dutos

Oposição questiona a compra à vista e a ligação de Orlando com a Petrobras  - Eduardo Anizelli/Folha Imagem
Oposição questiona a compra à vista e a ligação de Orlando com a Petrobras Imagem: Eduardo Anizelli/Folha Imagem

Camila Campanerut e Ricardo Perrone

Em Brasília e em São Paulo

18/10/2011 12h38

Os líderes da oposição ao governo Dilma Rousseff na Câmara dos Deputados anunciaram que irão questionar o ministro do Esporte, Orlando Silva Júnior sobre a compra de um imóvel à vista em um terreno no distrito de Sousas, em Campinas (SP), de  cerca de 90 mil m² onde passa um duto de gás da Petrobras. A reportagem foi publicada pelo UOL Esporte nesta terça-feira.   

ORLANDO SILVA COMPROU À VISTA TERRENO SOBRE DUTO DA PETROBRAS

  • Google Maps/Arte UOL

    Em agosto de 2010, Orlando Silva comprou, por R$ 370 mil, um terreno no distrito de Sousas, em Campinas (SP). Pela área de aproximadamente 90 mil m² passa um duto de gás da Petrobras. Silva, que é ministro do Esporte desde 2006 e recebia à época da compra R$ 10.748,43 mensais, pagou o terreno

"Começam a existir suspeitas sobre a posição patrimonial do ministro. Não é mais apenas a função à frente do ministério, mas sua posição patrimonial que está em jogo. Estas dúvidas precisam ser esclarecidas. Precisamos saber se como foi compra deste imóvel e se o ministro tinha informações privilegiadas e, se houve tráfico de influência", afirma o líder do DEM na Casa, ACM Neto (BA).

Documentos da Petrobras mostram que há planos para mudanças nos dutos localizados no Estado de São Paulo, gerando alto risco de desapropriação. Um funcionário do condomínio Colinas do Atibaia, onde fica a propriedade, disse ao UOL Esporte que a equipe de uma empresa que trabalha para a petrolífera esteve lá recentemente. Avisou que os primeiros terrenos à esquerda da portaria passarão por uma desapropriação parcial. O objetivo é evitar riscos de contaminação. O sítio do ministro é justamente o primeiro do lado esquerdo.

Líder do PSDB no Senado, Álvaro Dias, quer que o Ministério Público investigue a relação entre Orlando Silva e a Petrobras.

"O MP precisa investigar se ele recebeu informação privilegiada. Se recebeu, houve ato ilícito. O fato de ele comprar o terreno à vista também merece atenção diante das denúncias que ele enfrenta", declarou Álvaro Dias.

DE MÃOS DADAS

A Petrobras é uma forte parceira do Ministério do Esporte. Em agosto, colocou em prática o projeto Esporte & Cidadania em parceria com o ministério. Vai investir R$ 30 milhões em esporte educacional.
Haroldo Borges Rodrigues Lima - Diretor-geral da Agência Nacional de Petróleo, é membro do PC do B e baiano, assim como o ministro do Esporte.
Ana Cristina Petta - Atriz, a mulher do ministro do Esporte, é integrante da Companhia do Latão, grupo teatral patrocinado pela Petrobras.

O ministério do Esporte, que Orlando Silva Júnior comanda desde 2006, faz parceiras há anos com a Petrobras -apenas em esporte educacional, há investimentos de R$ 30 milhões. Além disso, o diretor-geral da ANP (Agência Nacional de Petróleo), Haroldo Lima, é membro do PCdoB baiano assim como o ministro. E a mulher de Orlando Silva, a atriz Ana Cristina Petta, é integrante do grupo teatral Companhia do Latão, patrocinado pela empresa petrolífera.

"Nós vamos encaminhar requerimentos a Petrobras para saber se houve algum tipo de informação [privilegiada]. Dependendo das repostas, iremos adendar junto à Procuradoria Geral da República à representação que pedia a investigação das denúncias contra o ministro", completou o parlamentar. 

Ao UOL Esporte, o ministro afirmou que não haveria risco na construção por causa do duto da Petrobras e que desconhecia a possibilidade de desapropriações na área.

O ministro tem audiência nesta tarde na Câmara dos Deputados e foi convidado para falar amanhã no Senado.

Esporte