PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Mattos

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Conselho do Flamengo veta votação de proposta de futebol só profissional

Antônio Alcides (ao centro) é presidente do Conselho Deliberativo do Flamengo - Divulgação
Antônio Alcides (ao centro) é presidente do Conselho Deliberativo do Flamengo Imagem: Divulgação
Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

14/05/2022 04h00

O presidente do Conselho Deliberativo do Flamengo, Antônio Alcides, rejeitou colocar em votação uma proposta da oposição de só ter profissionais no futebol do clube. A alegação dele no documento é de que, pelo estatuto, apenas a diretoria rubro-negra poderia propor medidas para alterar o formato gerencial da agremiação e do futebol.

Com assinaturas de mais de 60 conselheiros, a oposição apresentou, por meio do conselheiro Rafael Strauch, uma proposta em abril para mudar a estrutura de poder do Flamengo. Pela ideia, acabariam todos os vice-presidentes temáticos, por áreas, como é o caso do responsável pelo futebol. Haveria um diretor de futebol. Em outras áreas, finanças, marketing e administração ocorreria o mesmo.

Nesta sexta-feira, Alcides informou que indeferia a proposta. Sua alegação é de que o artigo 125 do estatuto, em seu inciso 16o, prevê que apenas o Conselho Diretor poderia propor a extinção de departamentos e ao Conselho de Administração, alterações de estruturas existentes.

Ou seja, por essa lógica, só quem está no poder no Flamengo poderia fazer propostas para mudanças na estrutura do clube para serem votadas no Conselho Deliberativo, que é uma espécie de Congresso do clube. É como se só o presidente da República (como executivo) pudesse propor ao Congresso alterações na estrutura do governo brasileiro, sendo os deputados vetados.

Portanto, Alcides informou que a medida tem vício de iniciativa e competência, o que a torna nula.

Strauch, autor da proposta, tentará reunir assinaturas para propor a alteração do artigo do estatuto. Em seguida, irá propor novamente a sua ideia de tirar amadores do futebol. Procurado, Alcides não respondeu ao blog.