PUBLICIDADE
Topo

CBF negocia com PSG para liberação de Neymar para jogar Olimpíada

Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

28/02/2020 04h00

A diretoria da CBF já iniciou negociação para tentar liberar Neymar para jogar a Olimpíada de Tóquio. O jogador manifestou a intenção de disputar a competição. A partir daí, o presidente da confederação, Rogério Caboclo, já teve encontro com o CEO do PSG, Nasser Al-Khelaïff, para discutir a questão. Além disso, o mandatário já esteve anteriormente com o Real Madrid para tratar de liberações em geral de atletas - o clube tem Vinicius Jr, Rodrygo e Reinier.

A vontade na CBF é de ter Neymar tanto na Copa América, da Argentina e Colômbia, quanto nos Jogos de Tóquio. O técnico da seleção principal, Tite, e o da olímpica, André Jardine, manifestaram intenção de utiliza-lo. No caso olímpico, ele ficaria na cota de jogadores acima de 23 anos.

A questão é que a Copa América é data-Fifa e portanto a liberação se torna obrigatória. Mas a Olimpíada não está no calendário da federação internacional. Nos Jogos do Rio-2016, a CBF trocou a presença de Neymar na Copa América pela sua atuação na Olimpíada no Brasil. Agora, a intenção da confederação é tê-lo nas duas, mas isso pode fazer parte da conversa já que os Jogos não são obrigatórios.

Caboclo também esteve anteriormente com o presidente do Real Madrid, Florentino Perez, para tratar de liberação de jogadores para a Olimpíada. No caso, o time espanhol tem Vinicius Jr, Rodrygo e Reinier como potenciais convocados para esse grupo. Na época do encontro, Reinier ainda não era do Real - ele fez parte do time no pre-olímpico.

Essa disposição da diretoria da CBF mostra a prioridade que está sendo dada para a Olimpíada. Tanto que fez o máximo para ter jogadores no pré-olímpico, embora tenha recebido recusa de boa parte dos clubes europeus que negaram oito jogadores.

Apesar da prioridade, dirigentes da confederação não sentiram necessidade de conversar com clubes brasileiros sobre a liberação de jogadores para os Jogos. O entendimento da CBF é de que haverá colaboração por parte dos times nacionais para a equipe da Olimpíada.

Durante o Conselho Técnico do Brasileiro da Série A, não houve conversa entre CBF e clubes sobre o período da Copa América que vai tomar nove rodadas do Brasileiro, sendo outra ocupada em intervalo das eliminatórias. A diretoria da confederação entende que os clubes têm que esperar a convocação para saber de fato se perderão jogadores neste período.

Blog do Rodrigo Mattos